Escolas Conectadas transforma a gamificação em reconhecimento e aprendizado para o educador

09 de outubro de 2020

As características particulares de um jogo passam pelo engajamento e podem transformar a forma como aprendemos


Desde os primórdios da humanidade, os jogos já eram usados como forma de entretenimento, mas sobretudo de engajamento e mobilização, além de considerados uma ferramenta importante para o desenvolvimento das civilizações e culturas humanas. No século XXI, essa perspectiva se comprova e manifesta através da tecnologia e de um processo conhecido como gamificação.

O termo, do inglês gamification, foi criado em 2002 pelo programador e desenvolvedor de jogos britânico Nick Pelling, e significa usar os elementos lúdicos e a dinâmica dos jogos para potencializar o processo de ensino-aprendizagem. Levando em conta esse princípio, o projeto Escolas Conectadas decidiu redesenhar a estrutura da plataforma com recursos gamificados e espaços de interação entre os cursistas

A iniciativa faz parte do ProFuturo, programa global da Fundação Telefônica e da Fundação Bancária “la Caixa”, que tem como principal compromisso propagar a inovação educativa e as competências do século XXI através da formação continuada gratuita dos professores.

 

As regras do jogo 

Utilizando elementos como interatividade, níveis de desenvolvimento, compartilhamento, personalização e até mesmo recompensas ao longo da trilha formativa, a gamificação na plataforma pretende trazer o modelo de diversão e engajamento dos jogos para incentivar o aprendizado dos educadores.

Infográfico em forma de animação mostra o processo da gamificação da plataforma Escolas Conectadas: A meta do cursista que acessa à plataforma do Escolas Conectadas é se tornar um educador transformador. Já as regras correspondem aos níveis — de 1 a 5 — que vão sendo desbloqueados à medida que o usuário conclui satisfatoriamente os cursos e soma horas em sua jornada. Essa dinâmica busca inspirar a participação voluntária do educador, que receberá um sistema de feedbacks positivos, traduzido em selos e conquistas de acordo com os caminhos que decidir seguir.

 

Reconhecimento na prática

“Com esse novo formato gamificado, a plataforma dá incentivo ao professor através do reconhecimento. Além de expandir as possibilidades de formação, consigo entender qual é meu perfil como educadora e saber exatamente quais são as competências que mais trabalho em sala de aula. Isso é muito importante para o nosso desenvolvimento”, conta Jumaria Dias do Santos, educadora da rede estadual de ensino da Bahia há 25 anos.

É com orgulho que ela conta já ter recebido o selo de educadora inspiradora, e conquistado o título de educadora antenada e proativa. Essas conquistas fazem parte da proposta gamificada da plataforma, que reconhece o educador à medida que ele vai avançando na trilha formativa. Para Jumaria, esse incentivo representa a possibilidade de transformar a comunidade de Carinhanha, município em que leciona e vive.

Tudo começou com o início da pandemia, em março, quando a professora de português e inglês foi convidada pela rede estadual a participar da formação para se especializar em projeto de vida, disponibilizada pelo Escolas Conectadas gratuitamente. A ideia inicial era realizar apenas um curso, mas depois dele vieram mais seis. Dentre eles, ela destaca o de Projeto de Vida e o Cidadania Digital como os mais marcantes em sua atuação.

“O conteúdo destes cursos me trouxe a confirmação de que a escola é um espaço de transformação, que o estudante precisa ser ouvido e que uma educação de qualidade passa por uma formação integral do ser humano. Eu aprendi como educadora, como mãe e como cidadã e esse conhecimento levarei para a vida”, compartilha Jumaria.

Participe da ação de Reconhecimento do Escolas Conectadas!

A partir do dia 15 de outubro, os educadores que realizaram, no mínimo, 5 cursos do Escolas Conectadas em 2020 ou 26 formações em seu histórico na plataforma, estarão automaticamente participando de uma ação de reconhecimento. A premiação será apurada até janeiro de 2021 e contemplará 15 cursistas, sendo 3 de cada uma das cinco regiões do país.

Os participantes concorrerão aos cinco livros da Coleção Escolas Criativas: Sapiens de escola, Meu genoma criativo, EduSapiens, Genoma de escola, Menu de Aprendizagem. O critério de desempate será feito a partir do nível de engajamento, por meio de interações e compartilhamentos, além de conquistas como os selos, caminhos para inovação completos, cursos concluídos e tutoria.

Lembrando que os educadores precisam atingir o nível “Plenamente Satisfatório” em todos os cursos concluídos para concorrer ao prêmio. Comece agora!



Deixe uma resposta aqui