11 temas importantes para ficar de olho ainda em 2020

09 de junho de 2020

Um estudo promovido pela organização CAUSE mapeia temas relevantes diante da pandemia para este ano e o futuro na área da educação, saúde desenvolvimento econômico sustentável, direitos humanos e valorização da ciência. Saiba mais!


O que virá depois da pandemia? Essa é uma pergunta que milhares de pessoas têm feito em todo o mundo. No Brasil, os reflexos do coronavírus puderam ser notados em diversos setores como educação, saúde, economia. De olho nas tendências que permeiam esses campos nos debates da sociedade, a CAUSE, uma organização que tem como objetivo conectar marcas e corporações às causas do nosso tempo com o objetivo de transformar realidades, lançou o relatório Causas para Observar em 2020.

O material levanta temas importantes que tiveram grande repercussão no último ano e que geram debates para o momento atual. Com a disseminação da Covid-19, o estudo foi adaptado para mapear os assuntos de acordo com os desdobramentos da pandemia.

As informações são baseadas em dados de uma pesquisa realizada em parceria com o Instituto IDEIA Big Data, unindo informações também de órgãos oficiais brasileiros e estrangeiros, além de veículos de imprensa e o debate na sociedade. No total, são 11 causas divididas em cinco grandes blocos temáticos: saúde, educação, desenvolvimento econômico sustentável, direitos humanos e valorização da ciência.

A seguir, confira um resumo desses temas que deverão pautar as organizações este ano.

Universalização da saúde

De acordo com o levantamento, 43% dos pacientes não confiam no sistema de saúde, apesar de considerá-lo uma prioridade em suas vidas. Apesar dos desafios, o setor deve ficar com um legado positivo deixado pelos investimentos durante a Covid-19. Maior número de leitos, serviços médicos remotos e melhorias de infraestrutura estão entre os destaques para o setor.

Valorização da importância da saúde mental

Os problemas de saúde mental têm se tornado cada vez mais recorrentes em todo o mundo. Diante disso, os especialistas têm alertado sobre os riscos do estresse crônico e ansiedade devido à disseminação da Covid-19. Terapias, meditações e atividades que tenham efeitos relaxantes têm tido um aumento de procura para amenizar tais sintomas.

Ensino domiciliar

Ao menos 85 países fecharam escolas para tentar conter a disseminação do coronavírus. De acordo com a Unesco, mais de 776,7 milhões de crianças e jovens foram impactados em todo o mundo. Nesse cenário, ganham forças a implementação de tecnologia 5G, as parcerias público-privadas e o aumento do acesso à internet.

Educação midiática

Desde 2018, o assunto fake news já vem se propagando. No contexto de pandemia, o tema ganhou ainda mais relevância. Com o aumento do número de notícias falsas compartilhadas, surgem iniciativas que estimulam a checagem dos fatos. Segundo o estudo, a participação dos jovens de maneira crítica nessas discussões sobre os rumos da sociedade é essencial nesse processo.

Redução das desigualdades

O Brasil é um país de muitas diferenças econômicas. Segundo o estudo, 1% das pessoas mais ricas ganham 33,8 vezes mais que 50% dos pobres. Diante da pandemia, o contexto deixa ainda mais exposta a desigualdade. Para combater isso, a pesquisa mostra que medidas governamentais devem ter foco nos grupos mais vulneráveis e a implementação de sistemas tributários progressivos se torna ainda mais necessária.

Combate à fome

Segundo o relatório, as comunidades periféricas, o isolamento social e a redução da renda de muitas famílias limitam o número e a qualidade de refeições. De acordo com o informe, aproximadamente 86% de moradores das favelas podem passar fome por causa do coronavírus. Para evitar a falta de alimentos, as ações governamentais e das organizações que atendem grupos em vulnerabilidade se fazem cada vez mais necessárias.

Cultura de doação

Muitos brasileiros se sensibilizaram e promoveram doações para diferentes setores da sociedade que foram impactados pela ação do Covid-19. Mais de R$ 3 bilhões foram arrecadados para o enfrentamento da pandemia no Brasil. O estudo mostra uma visão mais integrada e colaborativa de toda a sociedade, que atingiu uma marca histórica de arrecadação e o estímulo à cultura de doação.

Combate à violência doméstica

Com o isolamento social, o número de casos de violência doméstica teve um grande salto. Permanecer por mais tempo dentro em casa, tem exposto potenciais vítimas de violência doméstica a uma situação de maior vulnerabilidade. O estudo mostra uma maior mobilização da sociedade em torno do tema e a aceleração na aprovação de políticas públicas que combatam esses crimes.

Acesso a saneamento básico

Cerca de 35 milhões de pessoas no Brasil não têm acesso à água tratada em suas casas e a falta desse recurso essencial agravou-se no país durante a pandemia. A aprovação de um novo marco regulatório para o saneamento básico, segundo o estudo, é um dos caminhos para incentivar os investimentos das organizações nesse serviço.

Liberdade de expressão

As informações nas redes sociais têm gerado atritos em diversos poderes. O fortalecimento da confiança no jornalismo profissional e aumento da capacidade da população de discernir entre opinião e desinformação é uma tendência a ser debatida. O uso de informações, sendo algo direcionado a liberdade de expressão ou a desinformação, pode ter consequências ainda mais graves durante a pandemia.

Investimento em tecnologia e saber científico

De acordo com o estudo, 64,2% dos brasileiros afirmam confiar na ciência. A falta de investimentos nesse setor e também em tecnologia e inovação colocou o país em uma situação de vulnerabilidade em relação à pandemia. A tendência é ter mais investimentos federais destinados ao fortalecimento da ciência e uma redução de potenciais cientistas que precisar deixar o país para estudar.



2 comentários sobre “11 temas importantes para ficar de olho ainda em 2020”

  1. Antônio Carlos de Carvalho Melo Filho disse:

    Meu nome é Antônio Carlos de Carvalho Melo Filho, professor da rede municipal de ensino de Belo Horizonte e gostaria de saber como a vivo pode me ajudar a diminuir um grande problema pelo qual estou passando. Nesse tempo de isolamento social, os alunos da escola onde trabalho, no Aglomerado da Serra, têm grande dificuldades de acesso às atividades que a escola propõe. Isso se deve ao fato deles não terem acesso à internet. É uma comunidade carente e que necessita de toda ajuda que possamos oferecer. Me ajudem por favor.
    Meus dados: cel. (vivo) (31)992021135, cpf 57426953653, e-mail: emaildoantoniocarlos@yahoo.com.br

    Antecipadamente agradeço a atenção e pronto atendimento

    1. Fundação Telefônica Vivo disse:

      Olá, Antônio Carlos,
      Obrigada! A sua mensagem é muito importante para nós!
      A Fundação Telefônica Vivo, braço de responsabilidade social da Vivo, atua em iniciativas sociais focadas em inovação educativa, com projetos voltados para estudantes e educadores, a fim de contribuir com o desenvolvimento da sociedade e, por isso, não tem como auxiliar com solicitações relacionadas à doações de aparelhos celulares, tablets ou outros equipamentos. Todos os esforços da instituição em relação à iniciativas de combate aos efeitos do novo coronavírus no Brasil já foram concentrados nas áreas de saúde e segurança alimentar. Para conhecer mais sobre as ações realizadas, acesse

Deixe uma resposta aqui