Saltar para o menu de navegação
Saltar para o menu de acessibilidade
Saltar para os conteúdos
Saltar para o rodapé
Apostamos na força transformadora da educação, conectando pessoas ao conhecimento.

As iniciativas organizadas pelo Comitê de Voluntariado da Fundação Telefônica Vivo vão desde uma campanha de arrecadação para compra de kits de proteção

#Voluntariado

O que uma torcida de futebol tem em comum com um grupo de voluntários? Ela mobiliza corpos e esforços, compartilha os problemas e adversidades do jogo e mantém, independentemente do resultado, a esperança de ganhar o jogo.

Embora essa relação de causa e efeito não se traduza exatamente nos placares dos jogos, a metáfora é válida para reforçar a união e o engajamento como forma de transformar perspectivas e realidades. Foi o que pensou a Fundação Telefônica Vivo que, através das ações do Comitê de Voluntariado de São Paulo, lançou duas campanhas que mobilizam uma torcida do bem para lidar com os desafios da pandemia.

A missão é apoiar a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Guarulhos, uma organização parceira que agrega cerca de 580 assistidos. Fundada pela própria comunidade, a ONG atua há 41 anos pela defesa e prevenção dos direitos das pessoas com deficiência intelectual, orientando e oferecendo serviços para melhorar a qualidade de vida das famílias atendidas.

“Já tínhamos feito uma campanha de arrecadação anterior com um jogador e enxergamos a possibilidade de traçar esse paralelo novamente. O futebol leva uma alegria enorme ao torcedor, ao mesmo tempo em que recebe um amor fiel e incondicional da torcida. O voluntário carrega este mesmo amor incondicional pelos seus assistidos”, explica Edna Silva, embaixadora do Comitê de São Paulo.

Mobilizando a torcida

Os embaixadores dos comitês são representantes da Fundação Telefônica Vivo na organização e realização de ações voluntárias. Mas, as vezes, é na trajetória dos próprios colaboradores que está a chave para a mudança. Foi o caso de Diana Teixeira, que esteve ao lado das embaixadoras Edna Silva e Regina Chaves na mobilização da torcida.

Além de colaboradora da Vivo há 14 anos, Diana é também mãe da Giulia e da Manu, que cresceram como fiéis frequentadores dos campos de futebol, muito por conta da influência dos pais. A história da voluntária com a APAE também vem de longa data: Manu tem síndrome de Down e, desde cedo, contou com a rede de apoio da instituição.

“Nossa relação vai além da aceitação ou inclusão, eu aprendo todo dia com a Manu. Expliquei para minhas filhas que na sociedade todos nós somos diferentes uns dos outros, e precisamos aprender a lidar com essa diferença com respeito acima de tudo. Daí a importância de apoiar organizações como a APAE”, compartilha Diana.

Cercada por uma comunidade empática, a voluntária conseguiu mobilizar uma rede de contato nos campos que frequenta com a família. O primeiro foi o Rafael Cavalcante, goleiro da Seleção Brasileira de Futsal Síndrome de Down, depois veio o Cleiton Monteiro, técnico do time, e a partir dele vieram outros jogadores da Liga Paulista como Luan Peres, do Santos, Tiago Volpi e Vitor Bueno do São Paulo e Gabriel Xavier do NAGOYA.

“Outras pessoas do Comitê também se mobilizaram para conseguir camisas autografadas e antes que a gente pudesse se dar conta já tínhamos virado uma torcida, engajados por uma causa. Acredito que o ano que vivemos também contribuiu para as pessoas reconhecessem o papel da solidariedade em tempos de crise”, acrescenta a voluntária, que tornou-se vice-embaixadora da campanha.

O que é a Torcida Solidária?

A Torcida Solidária é uma campanha de arrecadação que, por meio de um crowdfunding, tem como objetivo captar 15 mil reais para a compra de Kits de Higiene e Proteção personalizados e destinados aos jovens que integram a APAE. Uma necessaire com o nome de cada estudante será entregue com itens de higiene solicitados pela instituição, como álcool em gel, máscara, toalha, creme dental e escova de dentes.

Para divulgar a iniciativa, o Comitê fez uma articulação em duas frentes: a primeira delas reuniu personalidades de times da Liga Paulista de futebol, como Corinthians, São Paulo, Santos e Palmeiras, e pediu para que gravassem vídeos contando sobre a campanha. Os colaboradores também conseguiram trazer representantes da Seleção Brasileira de Futsal Síndrome de Down para participar da divulgação.

Já a segunda estratégia foi mobilizar os próprios executivos da Vivo, que fazem parte dos Comitês, e que também são torcedores dedicados, para chamarem as respectivas torcidas para contribuir. Além disso, jovens que frequentam a APAE foram convidados para falar um pouco mais sobre a importância dessa mobilização.

Concurso Cultural

Se você gosta de futebol e o enxerga como uma possibilidade de manter o espírito de equipe e união, você também pode participar do concurso cultural Grito da Torcida.

Idealizado pelo Comitê de Voluntários da Fundação Telefônica Vivo, a ação visa premiar os três melhores gritos da torcida que utilizarem as palavras “voluntário” e “APAE”.

Para concorrer, basta acessar a página do concurso, clicar em “Quero Participar” e preencher o formulário, indicando qual camiseta você gostaria de ganhar (São Paulo, Corinthians ou Palmeiras). Na sequência, basta criar sua frase.

As respostas mais criativas serão analisadas pelo comitê de avaliação e concorrerão a uma camiseta autografada dos times Corinthians, São Paulo e Palmeiras. Participe!

Campanhas voluntárias mobilizam times e torcidas de futebol para apoiar instituição
Campanhas voluntárias mobilizam times e torcidas de futebol para apoiar instituição