Saltar para o menu de navegação
Saltar para o menu de acessibilidade
Saltar para os conteúdos
Saltar para o rodapé
Apostamos na força transformadora da educação, conectando pessoas ao conhecimento.

Com o apoio do projeto Aula Digital, Escola Municipal Batalha das Tabocas investiga o conflito que lhe deu o nome e apresenta de forma criativa a história pouco conhecida aos moradores de Vitória de Santo Antão, em Pernambuco

“Se queres ser universal, começa por pintar a tua aldeia”. A frase do escritor russo Leon Tolstói faz todo sentido para a Escola Municipal Batalha das Tabocas, em Vitória de Santo Antão, interior de Pernambuco.

A instituição, que está situada na zona rural e reúne alunos do Pré II até o quinto ano do Ensino Fundamental no formato classe multisseriada, viu na história do território da escola uma oportunidade de estimular a sensação de pertencimento nos estudantes e ainda revelar fatos desconhecidos para muitos moradores.

A ideia partiu da professora Danielle Duarte. Quando começou a trabalhar em Vitória de Santo Antão (Pernambuco), em 2016, percebeu que tanto os alunos quanto a comunidade nada sabiam sobre os acontecimentos que deram origem ao nome da escola. “Todo mundo dizia que ali tinha ocorrido uma guerra, que havia até esqueletos enterrados, mas ninguém se aprofundava”, explica.

Curiosa, a professora resolveu investigar e se juntou aos seus alunos para buscar informações sobre a história da região em sites, livros, documentos e até entrevistas com moradores antigos.  “Amo o que faço. Estou lá para trazer uma nova visão, mudar paradigmas e mostrar a importância dos estudos”, justifica a professora.

A Batalha das Tabocas

O conflito, ocorrido em 3 de agosto de 1645, opôs luso-brasileiros e holandeses no Monte das Tabocas, que fica bem próximo à escola de mesmo nome. Segundo contam, João Fernandes Vieira, então governador, desesperado em meio à batalha, teve uma visão de Nossa Senhora de Nazaré e Santo Antão.

Depois disso, mesmo em menor número e com armas artesanais, os luso-brasileiros saíram vitoriosos, feito atribuído a Santo Antão. Foi o primeiro passo do movimento que culminaria com a expulsão dos holandeses do Nordeste e restabeleceria o controle da região à Coroa Portuguesa.

A história do território na tela

Depois de concluir a pesquisa, era hora de compartilhar as descobertas sobre a história do território. Para isso, os alunos produziram um minidocumentário sobre a Batalha das Tabocas usando os tablets disponibilizados pelo projeto Aula Digital.

O curta-metragem conquistou mais de 5 mil visualizações no Youtube em dois dias. Com o sucesso, as instituições de ensino próximas ficaram interessadas em conhecer a Escola Municipal Batalha das Tabocas. Empolgados, os alunos criaram um roteiro de visita, que começa com a apresentação do documentário no Cine Tabocas, um museu que estava vazio e foi repaginado com o auxílio dos estudantes.

“Modelamos em barro uma estátua de Nossa Senhora de Nazaré e colocamos ao lado do Cine Tabocas. Quem vê, se emociona”, complementa a professora.

Após o filme, os visitantes são conduzidos pela trilha histórica original do Monte das Tabocas, onde os alunos vão relacionando os fatos históricos ao local. Ao final, todos são convidados a participar de um jogo de tabuleiro.

Jogando e aprendendo

A professora Danielle idealizou o jogo após passar por uma das formações do projeto Aula Digital. Batizado de Trilha das Tabocas, ele recria a batalha, relembrando figuras históricas e valorizando a geografia da região.

Imagem mostra detalhe do jogo de tabuleiro Batalha das Tabocas

“O jogo é altamente artesanal, feito a partir da visão das crianças, usando material reciclado. Agora, pretendemos transformá-lo em um aplicativo de celular para que mais pessoas tenham acesso”, planeja a educadora.

Após o trabalho realizado pela escola, até mesmo a comunidade mudou a relação com a própria história. “Os moradores, que antes não gostavam do Monte das Tabocas, pois era ponto de usuários de drogas, hoje valorizam e respeitam o local”, comemora Danielle, satisfeita por ajudar a ressignificar os laços que conectam o passado ao presente.

Escola transforma a história do território em documentário e jogo de tabuleiro
Escola transforma a história do território em documentário e jogo de tabuleiro