Fundação Telefônica Vivo participa da 6ª Semana Global de Alfabetização Midiática e Informacional (AMI)

08 de novembro de 2016

Mila Gonçalves, gerente de Projetos Sociais da Fundação Telefônica


Em mesa-redonda, Mila Gonçalves, gerente de Projetos Sociais da instituição, falou sobre os projetos que transformam o mundo por meio da tecnologia

“Como estamos preparando os jovens para serem produtores de informação e não apenas consumidores?”, questionou Mila Gonçalves, gerente de Projetos Sociais da Fundação Telefônica Vivo, na mesa-redonda “Algoritmos, programação e design de jogos no desenvolvimento da Alfabetização Midiática e Informacional (AMI)”, realizada durante a 6ª Semana Global de Alfabetização Midiática e Informacional. O evento aconteceu no dia 5 de novembro na Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo (SP).

Para responder seu questionamento, Mila citou iniciativas promovidas pela Fundação Telefônica Vivo que visam à construção de um mundo melhor por meio da tecnologia. Entre elas, estão o Pense Grande, que tem como objetivo difundir a cultura do empreendedorismo social entre jovens, e o Programaê, movimento em prol da disseminação do tema da programação, realizado em parceria com a Fundação Lemann. Por meio de um portal, o Programaê disponibiliza conteúdos gratuitos, além de oferecer cursos, eventos, ações em escolas e debates sobre o tema. “Quem não programa será programado”, brinca Mila. Ainda na opinião da gerente, a tecnologia potencializa o aprendizado do aluno. “Eles podem solucionar problemas da comunidade a partir do acesso à tecnologia, tornando-se pessoas mais criativas.”

Um bom exemplo citado na palestra foi o desenvolvimento de um aplicativo por estudantes de uma escola de Viamão (RS), que controla a quantidade de água consumida pelo gado. “A tecnologia faz sentido em qualquer lugar e tem um papel muito importante nas escolas do campo. A gente precisa de uma população que olhe para dentro da ‘caixa preta’ e não que apenas a transporte”, destacou a gerente.

Na mesa, ela dividiu a fala com outros cinco convidados brasileiros e estrangeiros. Eles também compartilharam projetos transformadores de problemas sociais por meio da tecnologia.

A Semana AMI de 2016 foi uma iniciativa da USP, em parceria com a UNESCO. Teve como tema Alfabetização Midiática e Informacional: novos Paradigmas para o Diálogo Intercultural. Em quatro dias de evento, especialistas debateram como a AMI pode melhorar e ampliar o desenvolvimento da cidadania global, dos direitos humanos e da educação, enfrentando questões como a pobreza, discurso de ódio e violência.



Deixe uma resposta aqui