Ensino Médio

Imagem mostra uma jovem estudante negra sentada em uma cadeira em sala de aula. Ela sorri para a foto e segura uma caneta na mão direita (Novo Ensino Médio)

A Fundação Telefônica Vivo apoia a implementação do Novo Ensino Médio a partir do desenvolvimento de competências digitais de estudantes e educadores da rede pública

Aprovado em 2017 pelo Congresso Nacional, o Novo Ensino Médio busca combater um cenário de estagnação de aprendizagem e de evasão escolar. A fim de tornar a educação mais significativa para as juventudes do século XXI, o novo modelo traz maior flexibilidade e autonomia para que os estudantes sejam protagonistas do próprio aprendizado.

Por exemplo, as 13 disciplinas obrigatórias foram organizadas em quatro áreas de conhecimento, focando nas competências e habilidades especificadas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Além disso, os estudantes poderão optar por dedicar parte da carga horária aos temas que têm sintonia com seus projetos de vida, através dos itinerários formativos.

Com a reformulação curricular, mais horas de estudo e o incremento da Formação Técnica Profissional (FTP), o Novo Ensino Médio cumpre um papel estratégico para aproximar os jovens da escola após a pandemia. Esse direcionamento atende a uma demanda que não apenas vem do mercado de trabalho, mas também das expectativas dos próprios estudantes.

Partindo desta perspectiva, a Fundação Telefônica Vivo tem somado esforços para diversificar experiências de aprendizagem a partir do desenvolvimento de competências digitais em educadores e estudantes da rede pública.

A partir do Programa Pense Grande Tech, a instituição direciona seus conteúdos ao uso transversal das Tecnologias Digitais nos currículos. Para isso, trabalha em regime de colaboração com organizações de impacto social e Secretarias de Educação, a fim de democratizar a formação em dados para os estudantes da rede pública de ensino no Brasil.

Clique aqui para saber mais sobre as principais mudanças no Novo Ensino Médio.