Saltar para o menu de navegação
Saltar para o menu de acessibilidade
Saltar para os conteúdos
Saltar para o rodapé
Logo EnlighTedDias 19, 20 e 21 de outubro | Assista ao enlightED aqui!

A Fundação Telefônica Vivo lança no Brasil o livro “Viagem à escola do século XXI”, resultado de um vasto estudo do psicólogo e pesquisador espanhol, Alfredo Hernando, sobre métodos diferenciados de aprendizagem. O livro é um guia sobre novos formatos de educação, que além de inspirar, reúne 80 ações práticas que podem ser aplicadas por qualquer escola. São experiências que utilizam métodos como aprendizagem cooperativa, gamificação, aprendizagem com base em projetos, reorganização de espaços e horários, integração da escola com a comunidade, entre outros. O download gratuito pode ser feito no acervo da Fundação, pelo site https://fundacaotelefonicavivo.org.br/acervo.

A publicação reflete o foco da Fundação em incentivar a inovação educativa por acreditar que o modelo convencional, com base na transmissão da informação, não atende às necessidades do século XXI. Em linha com esta visão, o livro evidencia que escola é qualquer lugar onde se aprende, seja entre paredes, em um barco ou em um caminhão. “O autor comprova na prática que o caminho para inovar em educação passa pela personalização do aprendizado e pelo uso de tecnologias que podem potencializar novas competências e habilidades nos alunos”, explica Americo Mattar, diretor-presidente da Fundação Telefônica Vivo.

Organização didática

Organizado em quatro blocos: Viagem, Ideia, Ação e Método, o livro mostra a trajetória de inovação de cada uma das 50 escolas de 21 países em diferentes continentes. “Viagem” retrata a experiência em sala de aula e o relacionamento entre professores e alunos das escolas inovadoras. “Ideia” reúne as motivações que fundamentam a experiência de transformação de cada escola, mostrando os porquês, as pesquisas e as evidências que deram origem à mudança. “Método” apresenta as ferramentas utilizadas para tornar realidade as mudanças nas escolas, incluindo planilhas, sugestões e instruções educacionais didáticas que podem servir de referência para outras escolas. “Ação” traz diferentes propostas de atividades para iniciar o processo de transformação escolar.

Nos capítulos, os blocos são identificados por símbolo e cor, permitindo a leitura linear ou a consulta direta a partes. Todas as escolas citadas no livro têm em comum planos de integração tecnológica e projetos de inovação. Os 15 capítulos do livro resumem os aspectos mais relevantes de processos inovadores de ensino e são concluídos com a provocação “o que posso fazer em minha escola?”, com sugestões de ações práticas para adaptação a outras realidades.

As escolas na prática

“Viagem à escola do século XXI” traz histórias como a da Doorstep Schools e Ruchika, na Índia, que escolarizam crianças que não podem frequentar a escola devido a sua jornada de trabalho. Para resolver isso, transformou ônibus, caminhões e trens em escolas e, assim, educadores transportam as crianças da casa para o trabalho enquanto aprendem.

A organização Shidhulai, em Bangladesh, desenvolveu uma escola-barco, que tem mais de 88 mil crianças inscritas. Por estar em uma região de mangues, com inundações frequentes, as crianças sequer podem andar sozinhas e, por isso, a escola vai até elas.

A Barefoot College, na Índia e Serra Leoa, é uma escola entendida como comunidade de aprendizagem, na qual não há provas, certificados ou professores qualificados, mas onde o processo de ensino está vinculado à realidade dos alunos e, dessa forma, estão conseguindo melhorar a qualidade de vida de pessoas de diversas idades.

Na Finlândia, um dos países mais inovadores do mundo no que se refere à educação, a escola Innoomnia tem um programa educacional com base em projetos de ensino híbrido (que complementa presença física do aluno com o acompanhamento de cursos online para completar o currículo) e intensa participação de profissionais do mercado de trabalho e metodologias criativas do design thinking. A escola firmou acordos com empresas para oferecer aos alunos oportunidades de trabalhar como aprendizes e empreendedores reais. Os alunos ainda participam das decisões organizacionais e de gestão escolar que, em determinadas ocasiões, são constituídas por votação.

Sobre o autor

Alfredo Hernando Calvo é psicólogo e pesquisador espanhol e, desde 2013, dirige o projeto escuela21.org., que o levou a conhecer e a experimentar, em primeira mão, as escolas mais inovadoras de todo o mundo. Alfredo é explorador da metodologia do design thinking, da gamificação, das paisagens de aprendizagem, da integração tecnológica na sala de aula e da gestão dos processos de inovação e mudanças em centros educacionais. Psicólogo, com diploma de Estudos Avançados em Filologia Hispânica, foi Redator Chefe da Revista Educadores, Assessor do Departamento de Inovação Pedagógica das Escolas Católicas, professor e orientador escolar.

Sobre a Fundação Telefônica Vivo

A Fundação Telefônica Vivo, responsável pelos projetos sociais da Vivo, acredita na Inovação Educativa como forma de inspirar novos caminhos para o desenvolvimento do Brasil a partir da educação. Guiada pela inovação e a disposição em contribuir para a construção de um futuro com mais oportunidades para todos, a Fundação desenvolve projetos que utilizam a tecnologia para gerar novas metodologias de ensino-aprendizagem, estimular o empreendedorismo social e o exercício da cidadania. Com atuação no Brasil desde 1999, faz parte de uma rede formada por outras 17 fundações presentes na Europa e América Latina, integrantes do Grupo Telefónica.

 

Telefônica Vivo
Assessoria de Imprensa
Tel. (11) 3430-7020

Fundação Telefônica Vivo lança livro que mostra como inovar na educação
Fundação Telefônica Vivo lança livro que mostra como inovar na educação