Saltar para o menu de navegação
Saltar para o rodapé
Saltar para os conteúdos
Saltar para o menu de acessibilidade
Logo EnlighTedRelembre aqui o enlightED 2021

Reunimos materiais indicados por especialistas em educação para aprofundar na temática: competências digitais e inovação na educação. Boa leitura!

Para ilustrar pauta sobre saúde mental nas escolas, foto mostra mulher sentada diante da tela de um computador com a cabeça apoiada na mão esquerda. Ela está escrevendo algo em um caderno e está com o olhar perdido. Ela tem a pele negra, os cabelos encaracolados e está usando óculos.

Entre agosto e outubro, a Fundação Telefônica Vivo vai realizar uma série de encontros online com o objetivo de reunir especialistas e educadores para debater temas de grande interesse e em conformidade com o atual momento da Educação.

O primeiro bate-papo, realizado no dia 20 de agosto, trouxe o tema Competências Digitais e Inovação na Educação, no qual foram compartilhadas experiências e trocas sobre gestão na Educação, uso de tecnologia e o desenvolvimento de novas práticas pedagógicas que absorvam as novas linguagens e formatos que surgem no contexto da educação a distância.

Abaixo, reunimos referências utilizadas para a construção desta conversa, além de indicações feitas pelas convidadas: Lilian Bacich, doutora em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano (USP); Julia Pinheiro Andrade, mestre em filosofia da educação e professora nos institutos Singularidades e Vera Cruz; e Mara Mansani, educadora especialista em alfabetização e blogueira da Revista Nova Escola.

A Escola Digital, iniciativa da Fundação Telefônica Vivo e do Instituto Natura, com apoio da Fundação Vanzolini, é uma plataforma gratuita que concentra mais de 30 mil recursos digitais voltados a estudantes, pais e professores. Recentemente lançou roteiros de estudos para educadores, como o Tecnologia na Sala de Aula: como lidar com os equipamentos? e o Você é criativo na busca de soluções de problemas?.

O Centro de Inovação para Educação Brasileira (CIEB) criou o Guia EduTec, uma ferramenta online e gratuita que faz o diagnóstico do grau do uso de tecnologia adotado por professores e escolas de redes públicas de ensino.

A Escolas Conectadas é uma plataforma que oferece cursos gratuitos que auxiliam professores no uso construtivo e contextualizado de tecnologias digitais, privilegiando a criação, a colaboração com estudantes e a resolução de problemas. Acesse a trilha de Cultura Digital e conheça as formações: Competência digital básica para a educação; Escola Digital: curadoria de Objetos Digitais de Aprendizagem e Cidadania digital: educando para o uso consciente da internet.

“A educação tecnológica fará parte do nosso mundo de uma maneira muito maior do que hoje e todos nós iremos adotar uma mentalidade de aprendizado contínuo”, disse Anthony Salcito, Vice-presidente de Educação Global da Microsoft, durante a conferência mundial enlightED 2019. Ele falou sobre futuro do trabalho e como se preparar para mudanças.

Estudo aponta que Brasil terá quase 200 milhões de pessoas conectadas à internet, o equivalente a mais de 90% da população, até 2023. As competências digitais não estão relacionadas a conhecimentos técnicos, mas à capacidades humanas, como colaboração, empatia e resiliência.

“Se nós não preparamos o professor para incorporar a tecnologia nas suas aulas e na maneira com que ele ensina, provavelmente a tecnologia não vai ter um impacto muito positivo na qualidade da educação” A frase é de Lucia Dellagnelo, doutora em Educação pela Universidade de Harvard e diretora presidente do CIEB, que fala nesta entrevista sobre o professor como peça-chave no uso da tecnologia a favor da educação.

Os dados da TIC Educação 2019 mostram que 64% dos colégios particulares e 14% das escolas públicas já utilizam alguma plataforma de aprendizagem virtual complementar. Quanto aos estudantes, 85% deles já têm perfil no WhatsApp e 61% utilizam essa rede social para fazer tarefas escolares.

O projeto Aula Fundação Telefônica Vivo (AFT), lançado em 2013, reuniu as experiências de distribuição de equipamentos e formação com uso de tecnologia para professores brasileiro. A série Cadernos AFT registrou em seis volumes os aprendizados adquiridos ao longo dessa trajetória.

A educação não é mais a mesma depois da pandemia. Em comum, professores e alunos passaram a adotar tecnologias educacionais de maneira mais constante (quando a infraestrutura permite). Saiba mais sobre pesquisas que mostra os impactos do coronavírus em diferentes áreas da educação.

Outras ferramentas disponibilizadas pela Fundação Telefônica Vivo em formato online são o Pense Grande Digital, um aplicativo gratuito que estimula o empreendedorismo social como meio de desenvolver o projeto de vida de jovens, e o Programaê!, que estimula o ensino de programação e ajuda educadores a deixarem as aulas mais interativas.

O Padlet é uma ferramenta muito útil para a elaboração de murais virtuais para a distribuição de conteúdo de diversos formatos e tipos para os estudantes. Além de simples de usar, é possível também usar de forma colaborativa, permitindo que os estudantes realizem postagens para compartilhar produções digitais.

Já o Flipgrid permite a criação de tópicos de discussão com a criação de vídeos curtos para serem compartilhados entre estudantes e professores. Esta lista reúne outros recursos digitais, que vão de formulários digitais e museus online.

12 conteúdos sobre competências digitais e inovação na educação
12 conteúdos sobre competências digitais e inovação na educação