Saltar para o menu de navegação
Saltar para o menu de acessibilidade
Saltar para os conteúdos
Saltar para o rodapé
Logo EnlighTedDias 19, 20 e 21 de outubro | Assista ao enlightED aqui!

Aplicativo para gestão de estoque é destaque no encerramento da formação de multiplicadores da metodologia Pense Grande, uma iniciativa da Fundação Telefônica Vivo, que visa difundir a cultura empreendedora com inovação e tecnologia

#EmpreendedorismoSocial#Estudantes#Projetodevida

Imagem do 1º Demoday Virtual do Pense Grande traz uma colagem com os integrantes do grupo Coovalente, Vitor Pereira, Danielly Goes e Ana Júlia Santos. Eles estão em frames separados, com o fundo rosa e roxo.

Um aplicativo que organiza compras coletivas para que comerciantes possam economizar ao reabastecer o estoque de seus negócios. Essa foi a ideia do grupo Coovalente, vencedor do 1º Demoday Virtual do Pense Grande, evento que reuniu cinco projetos finalistas criados por estudantes de Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) do Estado de São Paulo com a premissa de usar tecnologia, inovação e trazer impacto social para a comunidade.

Mais do que reconhecer o esforço empregado na criação dos projetos, o evento realizado em dezembro marcou a finalização do ciclo de formação de multiplicadores da metodologia Pense Grande. Desde 2016, a Fundação Telefônica Vivo se uniu ao Centro Paula Souza para ampliar o alcance da metodologia que fortalece a cultura do empreendedorismo social. Com a Impact HUB Brasil como parceira executora, foram formados, em 2020, 93 professores que impactaram cerca de 4.000 alunos das Etecs.

O professor Monteiro, coordenador de projetos da Assessoria de Inovação do Centro Paula Souza (Inova CPS), exalta a parceria na construção de um ensino de qualidade.

“Continuamos de vento em popa, como sempre apresentando excelentes resultados! O projeto adquiriu características próprias quando aplicado ao ensino técnico, impactando desde a gestão da escola, professores, alunos, até a comunidade. Em 2020, um ano bastante difícil, foram criadas uma série de ferramentas on-line para que não houvesse perda de conteúdo e o projeto pudesse ser replicado”, afirma.

“Para os jovens que estão no Ensino Médio, com tantas dúvidas na cabeça, viver este ano de tantas transformações foi um aprendizado incrível. Ter se adaptado a distância e ter buscado soluções com menos apoio devido ao contexto são habilidades que eles levarão para o resto da vida. Tivemos um número de inscrições maior do que o do ano passado e tenho profundo agradecimento e orgulho de todos os educadores!”, afirmou Luciana Scuarcialupi, coordenadora de projetos da Fundação Telefônica Vivo.

No total, foram 118 projetos inscritos de 23 Etecs, na primeira fase, na qual 50 foram selecionados para avançar à segunda fase e cinco escolhidos para a terceira e última etapa. Por conta da pandemia, não só a capacitação dos educadores e a mentoria dos projetos foram feitas por meios digitais, mas também o próprio Demoday, que pela primeira vez foi virtual, viabilizado em encontro realizado pela ferramenta Zoom.

O 1º Demoday Virtual 

Ainda que em uma sala virtual, foi um momento de celebração e motivação para todos que participaram. As propostas finalistas receberam muitos elogios, o que só mostra a dedicação de educadores e estudantes para superar obstáculos trazidos pela pandemia e a adaptação a um novo formato de ensino-aprendizagem.

Os grupos tiveram cinco minutos para apresentar o pitch sobre as propostas, e a banca de jurados, dois minutos para considerações e perguntas. Os projetos foram avaliados por diversos critérios, como impacto socioambiental, inovação, tecnologia, viabilidade financeira e clareza na apresentação.

Além da coordenadora Luciana Scuarcialupi, a bancada de jurados foi composta por Amneris Caciatori, gestora de supervisão educacional do Centro Paula Souza; Natália Vido, diretora técnica do Programa Novotec da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo; Isabela Mendes, ex-participante do programa Pense Grande e Pulsar e atual estagiária do Impact Hub São Paulo; Ruy Camargo, diretor de Operações e RH do Impact Hub São Paulo.

Ao final do processo, o grupo Coovalente, da Etec Abdias do Nascimento, localizada no bairro de Paraisópolis, foi indicado como vencedor. Os demais participantes também foram bastante elogiados pelos pitchs apresentados: Idem, Alvo Financeiro, STFE e Emotional_Skills.

Como prêmio, os integrantes do Coovalente receberam um tablet, um kit maker composto por smartwatch, drone, um óculos de realidade virtual e uma caneta 3D, além de até oito horas de mentoria para melhoria das propostas de produtos e serviços. Já a escola e os orientadores, ganharam dez livros sobre os temas de empreendedorismo e metodologias ativas.

Otimizando o estoque com compras coletivas 

Danielly Goes, representante do grupo Coovalente, conta que a ideia do aplicativo foi sendo moldada e passou por algumas turbulências. Inicialmente, o grupo pensou em ajudar comerciantes de bairro na exposição de seus produtos, aumentando as vendas e fazendo o dinheiro circular localmente nos bairros. Contudo, após algumas pesquisas e realinhamentos, decidiram propor um serviço no qual comerciantes – de qualquer porte – podem economizar através de compras coletivas.

“Eles compram juntos, com um desconto acima do comum, e economizam no abastecimento.  A ideia do nome veio de um sonho meu, lembrei do conceito de ligação covalente na química, o que fez muito sentido!”, narra a jovem.

Todo o projeto foi pensado e estruturado de forma 100% on-line e foi preciso superar alguns desafios e até mesmo imprevistos. No dia da apresentação, o computador de Danielly quebrou e ela precisou pensar rápido. “Tive que sair correndo para a casa de um primo meu e aí consegui apresentar. Mas sobre o evento, só tenho elogios!”, relembra.

A ideia agora é pensar maneiras de viabilizar o aplicativo. “Pretendemos levar o Coovalente adiante. É um projeto com um potencial de crescimento exponencial.  No futuro, não ajudaria somente o fornecedor, que tem seu capital aumentado a curto prazo, ou o comerciante, que economiza mais com o nosso aplicativo. Ajudaria também nós, consumidores. Impactaríamos de modo notável nos mercados de bairro”, projeta.

Ela também reconhece a importância da orientação dos professores Paulo Fernandes Pantaleão e Jorge Antonio Abreu, especialmente na monitoria e visão organizacional, apontando caminhos para ajustar as funcionalidades para o público, e pensando em estratégias para alcançar mais clientes.

Além de trabalhar a metodologia Pense Grande, o projeto também está alinhado a alguns dos Objetivos de Sustentabilidade da ONU (ODS). O professor Paulo Pantaleão, que dá aulas de gestão de pessoas na Etec Abdias do Nascimento, afirma que o trabalho entre os orientadores foi feito em conjunto e citou o uso de ferramentas como Círculo Dourado, Ikigai e Análise SWOT.

“Entrei na área da Educação pensando exatamente em não só ensinar matemática, fórmulas ou história. O professor precisa ir além, inspirar e criar junto com os alunos, que precisam perceber o futuro que um projeto pode espelhar a eles. A metodologia do Pense Grande vem assim como um encaixe, a última peça do quebra-cabeça que você encaixa e fica maravilhado com a obra final. Então, eu achei fantástica, foi um diferencial enorme!”, analisou o educador.

 

Conheça os cinco finalistas 

Coovalente
Etec Abdias do Nascimento (São Paulo-SP)
Solução proposta: Visa a economia do comerciante no reabastecimento de estoque por meio de compras coletivas viabilizadas por um aplicativo voltado a qualquer comércio, mas que pode ajudar especialmente os de pequeno e médio porte.

Idem
Etec Abdias do Nascimento (São Paulo-SP)
Solução proposta: Democratizar o acesso à informações sobre saúde mental e promover a integralização de terapeutas na sociedade com a criação de uma plataforma que viabilize financeiramente o primeiro contato com profissionais da área da saúde mental.

Emotional _skills
Etec Carapicuíba (Grande São Paulo)
Solução proposta: Evitar problemas como depressão, ansiedade, dificuldade de se concentrar, entre outros, ocasionados pela discriminação ao promover a diversidade com apoio de um aplicativo voltado ao ambiente escolar.

Alvo Financeiro
Etec de Santa Isabel (Santa Isabel-SP)
Solução proposta: Oferecer um aplicativo com serviços que visam diminuir a defasagem no acesso à educação financeira na sociedade brasileira, evitando o endividamento, em especial das classes baixas e médias.

STFE
Etec Zona Leste (São Paulo-SP)
Solução proposta: Criação de um meio de comunicação entre moradores, visando bairros em periferias de centros urbanos, para a troca e venda de produtos e serviços, fortalecendo a economia local.

1º Demoday Virtual reconhece projetos de estudantes de Etecs
1º Demoday Virtual reconhece projetos de estudantes de Etecs