Saltar para o menu de navegação
Saltar para o rodapé
Saltar para os conteúdos
Saltar para o menu de acessibilidade
Logo EnlighTedDias 19, 20 e 21 de outubro | Assista ao enlightED aqui!

Sexta edição da Virada Empreendedora reúne mais de 2 mil pessoas durante final de semana em São Paulo.

Sexta edição da Virada Empreendedora reúne mais de 2 mil pessoas durante fim de semana em São Paulo.

Foram 24 horas ininterruptas de bate-papos, oficinas e debates. Nos dias 16 e 17 de abril, a Fundação Getúlio Vargas, em São Paulo, recebeu mais de 2 mil participantes para a VI edição da Virada Empreendedora, sob o tema: Brasil presente, futuro empreendedor.

A Virada, que é um encontro colaborativo, contou com 23 curadores e palestrantes, todos trabalhando sem receber nada – em prol, apenas, do empreendedorismo. “Todos toparam participar e colaborar da melhor forma. Isso mostra como ainda existe gente bacana e interessada no assunto”, afirma Claudia Mamede, curadora do evento.

Neste ano, a Virada contou com duas novidades: as arenas “Investidores Anjo” e a “Tech for Teens” – esta última, tida como o grande sucesso de público. Adolescentes criativos e falantes, entre 10 e 17 anos, compartilharam suas ideias de empreendedorismo e debateram o papel da tecnologia na hora de se pensar um negócio.

No setor E-commerce, a voz dos jovens também ganhou destaque. Em épocas de modismos digitais, fez sucesso a palestra “YouTuber de Sucesso”. Ser um YouTuber consiste em gravar um vídeo sobre determinados temas da atualidade, postá-lo na rede – e ainda é possível conseguir patrocínio e ganhar dinheiro com a ideia, como explica recente matéria do Portal UOL. A tendência já se consolida entre os jovens como um negócio próprio, diz a reportagem.

A despeito de tanta criatividade e ideias positivas, o bate-papo “Sua Empresa Vai Virar” trouxe os cuidados que se deve ter no passo a passo do empreender, como explicou recentemente o jornalista Bob Wollheim em recente entrevista ao site da Fundação.

“Outras duas arenas interessantes, e que merecem ser citadas, foram as arenas “Digital” e “E-Commerce”, voltadas para pessoas que estão abrindo empresas digitais”, explica Claudia. “Elas estão interessadas nas redes sociais, por exemplo, para trabalhar na divulgação da empresa dentro da internet.”

Claudia, que também é diretora de comunicação do Rede Mulher Empreendedora – plataforma pioneira no Brasil com este recorte de gênero – contou que a fatia de mulheres empreendedoras está na marca de 52%. “Estamos começando a ganhar destaque nessa área de grande sucesso.” A curadora, porém, não deixa de destacar que o empreendedorismo é para todos e todas – e que vem crescendo cada vez mais como opção de renda. “Eu acredito que o empreendedorismo seja o futuro do nosso país. Mas é importante lembrar: empreender não é apenas abrir um negócio. Empreender é ter a atitude de transformar alguma ideia em algo real. É tornar possível algo que muitas vezes não parece possível”, finaliza Claudia.

Crédito da foto: Roberto Sungi

24 horas de empreendedorismo em São Paulo marca evento e protagonismo juvenil na área
24 horas de empreendedorismo em São Paulo marca evento e protagonismo juvenil na área