Saltar para o menu de navegação
Saltar para o rodapé
Saltar para os conteúdos
Saltar para o menu de acessibilidade
Novo Ensino Médio: primeiro itinerário de formação técnica e profissional em Ciência de Dados. Saiba mais

Durante formação de Multiplicadores em Projeto de Vida e Empreendedorismo Social do programa Pense Grande, especialistas destacaram como o acolhimento pode contribuir para o regresso às escolas de forma segura e saudável também para os professores

#Educadores#PenseGrande

Acolhimento dos professores é essencial na retomada às aulas presenciais

É hora de pensar em atividades de acolhimento na escola após meses de Ensino Remoto. Tendo o distanciamento social como medida de segurança contra a Covid-19, a retomada das aulas presenciais exige um esforço adicional dos gestores e da escola para além dos protocolos de segurança sanitária, que passaram a fazer parte da convivência entre os que frequentam o ambiente escolar.

Também será preciso oferecer acolhimento especial aos professores, educadores e demais profissionais. Algumas redes de ensino do Brasil já estão promovendo o chamado acolhimento socioemocional, que deve ser a primeira atividade na volta às aulas. A prática é a mais indicada diante de uma crise sanitária como a que atravessou a sociedade.

E esse preparo deve ocorrer ainda durante o Ensino Remoto, como foi feito com os profissionais de ensino de Sergipe.

 

Formação com foco em Projeto de Vida

O curso de Formação de Multiplicadores em Projeto de Vida e Empreendedorismo Social, desenvolvido a partir da metodologia do programa Pense Grande, é uma iniciativa da Fundação Telefônica Vivo em parceria com a Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura de Sergipe.

No estado, o Instituto Paramitas é o parceiro executor do projeto. Mais de 300 profissionais participaram do curso on-line. O público-alvo foram os professores da disciplina de projeto vida e de atividades integradoras do Novo Ensino Médio.

Durante o curso, professores, gestores e equipes escolares são capacitados a efetivarem o trabalho voltado para a construção do projeto de vida. É dado ênfase na formação dos aspectos físicos, cognitivos e socioemocionais dos estudantes, conforme a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB). E também para a implementação do tema de empreendedorismo social nas escolas.

O processo passa pela elaboração de planos de aula, desenvolvimento de habilidades digitais, bem como o acolhimento na escola, com trocas de experiências entre os educadores para que possam fazer uso das ferramentas apresentadas na metodologia do Pense Grande. E, por fim, multiplicar o conhecimento adquirido com os estudantes.

 

A importância do acolhimento de professores na escola

Durante o curso, os profissionais tiveram momentos de escuta e de troca para cuidarem do impacto emocional gerado pela pandemia. Em um dos bate-papos, os educadores ouviram a dra. Milena Aragão, psicóloga, mestre e doutora em Educação. Em sua fala, ela abordou como superar em equipe os abalos emocionais trazidos pelo distanciamento social.

“A gente precisa falar mais sobre nossa potência, o que é precioso para nós, nossas habilidades, capacidades e competências de valores, que nos ajudam a ultrapassar os desafios das nossas vidas. E quando isso é feito em conjunto, é lindo e ainda mais potente. Foi um momento muito importante para todos”, explica.

Os educadores também participaram de um webinário sobre a importância do acolhimento na escola na volta às aulas presenciais. O psicólogo João Paulo Feitoza destacou como a equipe escolar deve ser sensível a todos os percalços enfrentados pelos professores durante os últimos meses.

“A adaptação da nova rotina implicou em sofrimento porque o professor precisou se reorganizar e aprender um novo ofício: dar aula de forma on-line. Por isso é preciso amparar e acolher, mas no sentido de transformar esse acolhimento em ação. Para ajudar o professor no exercício de suas funções nesse retorno”, explica o psicólogo.

Professores com o emocional abalado

No início do decreto de isolamento social, uma série de questões afetaram o emocional dos professores. Enquanto tiveram que se adaptar à tecnologia de forma inesperada para as aulas on-line, muitos perderam parentes e colegas de trabalho para a doença. E não conseguiram exercer a profissão como gostariam. Fatores como esses podem gerar muita frustração, mesmo entre os que já dominavam a tecnologia.

Para Dra. Milena Aragão, o retorno à escola representa uma mudança significativa para os professores. Afinal, os cuidados passam a fazer parte da rotina escolar, e isso pode gerar medo e insegurança. Ela acredita que atividades de acolhimento na escola, em especial capacidade de escuta, deverá fazer parte da rotina escolar diariamente.

“Ainda precisamos tomar as medidas de segurança e os professores são o apoio das crianças e dos jovens na escola. Eles são convocados a zelar por todo esse processo de cuidado que os alunos também devem ter com o vírus. Essa é uma preocupação a mais que os professores têm que ter, além da preocupação diária em ensinar”, salienta.

Atividades de acolhimento na escola

A equipe escolar é a base para a acolhida socioemocional dos alunos. Mas para isso, ela também precisa se sentir acolhida e segura. Milena Aragão destaca a importância de a escola promover o vínculo e o diálogo entre os educadores, oferecendo espaço para que eles compartilhem suas questões.

“Os educadores precisam ter confiança de que a escola tem estrutura adequada para o retorno seguro. Além disso, é importante que tenham um espaço de desabafo e de escuta empática. Eles precisam ser ouvidos sobre os medos e fragilidades e acolhidos sem críticas ou julgamentos”.

Para João Feitoza, a escola deve ter a delicadeza de resgatar o sentido de comunidade entre toda a equipe.

“O papel do professor não pode se resumir a passar o conteúdo do currículo escolar. Ele precisa ser lembrado do quanto a troca de experiências é rica. E o acolhimento também tem a ver com o sentido de comunidade, de se enxergar no outro e exercitar o apoio diário para enfrentar os problemas emocionais”, disse o psicólogo.

A escola como rede de apoio e acolhimento

Segundo os especialistas, algumas práticas de acolhimento podem ser adotadas pela escola. Confira.

Estrutura adequada para o retorno seguro:  Entre os fatores que contribuem para o processo de ensino e aprendizagem está a infraestrutura da escola.  Além das medidas para um retorno seguro ao ambiente escolar, como o uso de máscaras e higienização das mãos, é importante que as escolas realizem treinamentos de professores e cuidadores para que se sintam capacitados e seguros, vendo que a comunidade escolar se preocupa com seu bem-estar.

Espaço de escuta: A escuta é a principal atitude de acolhimento. Ela abre a possibilidade para que o profissional fale sobre como sua vida foi impactada pela pandemia. Segundo a doutora em educação, ela permite ao educador falar sobre suas dificuldades e que, em conjunto, encontre em seus pares a solução. Também é importante pensar em soluções para essas escutas e em uma devolutiva para mostrar preocupação e valorização da equipe.

Criar senso de pertencimento: Esse é um elemento essencial para que o professor enxergue em suas atividades um propósito. Criar senso de pertencimento contribui para acolhida e engajamento da equipe. Um bom exemplo é desenvolver projetos colaborativos que gerem impacto em toda a comunidade no entorno escolar.

Atividades que valorizam a saúde mental: No contexto em que vivemos, é normal que sentimentos como medo, angústia e incerteza fiquem mais aflorados. Uma maneira de ajudar a superá-los é realizar atividades que prezam pela saúde mental e psicológica. Rodas de conversa, momentos de meditação e pesquisas sobre demandas e interesses dos profissionais são alguns exemplos.

Olhar positivamente para o futuro

Os especialistas ainda não sabem os impactos, a longo prazo, que a pandemia trouxe para a vida de todos, principalmente para as crianças e jovens. Mas mesmo diante de tantos desafios, João Feitoza acredita que a educação passou por um processo de ressignificação.

“Acredito que somente através da educação podemos oferecer uma resposta para os problemas provocados nesta geração. Os educadores são essenciais para lidar com esses grandes desafios e o acolhimento será uma grande ferramenta de trabalho daqui para frente”, declara.

Para Milena Aragão, é preciso olhar com esperança para o futuro.

“A comunidade escolar é um suporte poderoso. A gente pode promover, dentro da nossa escola, uma comunidade aberta para acolher. E o acolhimento não diz respeito só ao sentimento, mas ao suporte para as ações do dia a dia”, finaliza.

Acolhimento dos professores é essencial na retomada às aulas presenciais
Acolhimento dos professores é essencial na retomada às aulas presenciais