Saltar para o menu de navegação
Saltar para o menu de acessibilidade
Saltar para os conteúdos
Saltar para o rodapé
Apostamos na força transformadora da educação, conectando pessoas ao conhecimento.

Em ano de pandemia, encarar a prova é ainda mais desafiador e angustiante. Saiba como se preparar

#Educação#Estudantes

Imagem de estudantes fazendo prova em sala, com máscaras e distanciamento social

O período dos vestibulares e do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é desafiador por natureza. Em um ano afetado pela crise sanitária por causa da Covid-19, as dificuldades se potencializam: há um maior esgotamento físico e emocional dos estudantes.

“O medo de não passar, a responsabilidade de escolher um curso, a cobrança da família, tudo isso sobrecarrega os estudantes. Agora, durante a pandemia, o estresse foi elevado ao extremo”, aponta Jade Philippe, diretora de conteúdo do Curso Enem Gratuito.

Quem vai encarar a jornada de provas, que em 2021 estão previstas para os dias 21 e 28 de novembro, precisa começar a se preparar desde já, sem deixar de lado a saúde mental.

São comuns as cobranças para que os estudantes se dediquem até a exaustão, mas isso não necessariamente reflete na qualidade do estudo e gera maior cansaço. “Por isso, o descanso e o lazer são, na realidade, aliados dos estudos e devem ser incentivados”, complementa Jade.

Cuidando do lado emocional 

Segundo pesquisa realizada pelo Ensino Social Profissionalizante (Espro), jovens entre 15 e 24 anos estão mais cansados e têm tido insônia com mais frequência. Com a pandemia e isolamento social, eles têm sentido mais ansiedade, angústia, tristeza e estresse.

Sentir a pressão de um processo seletivo concorrido é normal, no entanto, é necessário buscar alternativas que fortaleçam a saúde emocional do estudante, principalmente em momento de pandemia.

“Todos nós precisamos lembrar que estamos vivendo, trabalhando e estudando em condições muito distantes das ideais”, aponta Jade. Por causa do contexto, uma das queixas que a profissional mais recebe é sobre a dificuldade dos estudantes de se concentrarem. “Infelizmente, não existe uma fórmula universal da concentração: cada um precisa testar diferentes estratégias para entender o que funciona melhor para si.”

Uma dica é estabelecer na rotina um horário fixo para os estudos e sem outras pendências na cabeça, porque as distrações e as preocupações tomam conta do pensamento.

“Devido ao grau de complexidade das avaliações, o estudante acaba se cobrando em demasia. Manter a organização nos estudos também ajuda a evitar o esgotamento mental”, complementa Jade.

Alguns acreditam que estudar se resume a passar horas e horas lendo uma apostila ou assistindo videoaulas em sequência, no entanto, a forma de estudar pode e deve ser diversificada. É importante intercalar as aulas escritas ou em vídeo com a resolução de exercícios e o treino da redação.

“Maratona” de estudos  

Segundo Jade, os estudantes que conseguem se dedicar à preparação para o Enem desde o início do ano e manter uma rotina de estudos saudável para dar conta de todo o conteúdo são minoria. A maior parte deixa para estudar e revisar quando a prova está chegando.

“A procrastinação pode ter várias razões, desde a falta das condições adequadas para os estudos até uma crença, por parte do estudante, de que não é inteligente o bastante para passar e, assim, não vale a pena estudar. Seja qual for o motivo, é muito comum que os candidatos comecem a se preparar para o Enem faltando poucos meses para a prova”, conta.

Fazendo uma analogia, estudar para o Enem é como se preparar para uma maratona: exige preparo, dedicação e consistência. Não tira a maior nota quem estuda todos os assuntos já no começo do ano, nem quem corre para revisar tudo ao final.

Para quem vai começar agora, a diretora de conteúdo do Curso Enem Gratuito explica que o ideal é focar nos temas mais cobrados. Há muitos profissionais que analisam o exame a fundo e conseguem identificar quais são os conteúdos que mais caem e quais são aqueles que quase nunca são cobrados. “Por isso, faltando poucos meses para a prova, a melhor estratégia seria dar prioridade aos temas com maior probabilidade de cair”, sugere.

É importante lembrar que o estudo sempre deve estar associado à resolução de exercícios, que, além de ser uma boa forma de fixar o conhecimento, ajuda o estudante a se acostumar com o tipo de questão cobrada no Enem, com os enunciados longos e com a interdisciplinaridade.

“Dedicar um tempo específico para estudar a estrutura da redação do Enem e treinar a escrita faz muita diferença no desempenho dos candidatos e é algo que pode e deve ser feito nesses últimos meses até as provas”, indica Jade.

Habilidades importantes para o Enem 

A prova do Enem é extensa, com enunciados longos, e o candidato precisa estar habituado ao estilo do Exame. Treinar o tempo de prova é essencial para que o estudante consiga responder todas as questões e preencher o gabarito, principalmente no segundo dia, quando são aplicadas as provas de Matemática e Ciências da Natureza.

Segundo Jade Philippe, para conseguir um bom desempenho é preciso ter uma boa interpretação de texto. Esta é uma habilidade cobrada não só nas questões de Linguagens, mas também nas de Ciências Humanas, Ciências da Natureza e Matemática.

Outra habilidade importante é ter a capacidade de analisar as questões rapidamente e responder primeiro aquelas que o candidato sabe e por último as que deixaram dúvida.

“No dia da prova o mais importante para o candidato é ter a consciência de que, dadas as condições e adversidades, ele deu o seu melhor na hora de estudar e que é capaz de enfrentar o Enem de cabeça erguida”, finaliza.

Enem 2021: como os estudantes podem se preparar sem prejudicar a saúde mental?
Enem 2021: como os estudantes podem se preparar sem prejudicar a saúde mental?