Saltar para o menu de navegação
Saltar para o menu de acessibilidade
Saltar para os conteúdos
Saltar para o rodapé
Logo EnlighTedDias 19, 20 e 21 de outubro | Assista ao enlightED aqui!

Fundação Telefônica atrai cada vez mais professores para cursos a distancia

No primeiro trimestre, adesão de professores à formação a distância chega a 50% da meta inicial.

De março a maio de 2016 – o primeiro trimestre de operação da Plataforma Escolas Conectadas após reformulação – o número total de inscritos em seus cursos a distância ultrapassou os 5 mil*, alcançando 50% da meta inicial estipulada para o ano. Dentre eles, 3.353 ingressaram no programa em 2016 e, até o momento, já foram registradas 1.835 aprovações.

O alto interesse pela plataforma, que continua aumentando, com novas adesões de professores, não deve ser atribuído a um fator único, como avalia a coordenadora dos cursos e parceira executora da Fundação Telefônica Vivo, Patrícia Behling Schäfer. “A comunicação entre os educadores é muito importante. Muitos recomendam o curso para seus colegas”, afirma, destacando a disseminação orgânica como um dos aspectos relevantes.

A educadora Sandra Cardoso Ferreira Recco, de Barretos, que conhece a plataforma desde 2015, é um exemplo: orgulha-se de ter participado de 17 cursos e ainda atraído colegas a fazerem por indicação sua, tanto conversando pessoalmente como divulgando o link em suas redes sociais. “Uma delas está gostando de um que não fiz ainda, então vou ver se consigo no segundo semestre”, diz, referindo-se a Antártica: muito mais do que apenas gelo! “É uma plataforma riquíssima, o material disponibilizado é ótimo”, elogia.

Como está afastada de sala de aula no momento, por um problema de saúde que provocou a perda auditiva de um dos ouvidos, Sandra destaca a capacidade dos cursos em alimentar o dia a dia. Um deles é Escrita Criativa: com a palavra a autora! que – além dos instrumentos específicos para professores – ajuda a elaborar uma síntese e a melhorar o vocabulário. “Mesmo não estando em sala de aula, é meu papel estar por dentro”, explica.

As escolhas temáticas também podem estar refletindo no interesse dos educadores. Segundo Patrícia, além das formações em linguagens, matemática, ciências naturais, cultura e metodologia, que são grandes eixos, permanecem as ofertas que trazem as tecnologias digitais para um primeiro plano. “Nessas, temos instigado a exploração dos usos mais poderosos das tecnologias, vinculados a sua plasticidade para modelar e simular conceitos, expressar ideias, comunicar, criar, colaborar – o que os professores têm visto como muito positivo”, ressalta a coordenadora.

A proposta, cujo valor tem sido reconhecido, é oferecer outra perspectiva de tecnologia na educação, fazendo um contraponto a propostas que se atêm à reprodução de conteúdos. Como esclareceu Patrícia, o foco está na criação e no protagonismo do aluno e do professor.

Ao referir-se à ampliação do Escolas Conectadas, que em 2016 além de oferecer oportunidades formativas para educadores do campo passou a se dedicar também aos educadores da cidade, Patrícia avalia que o momento era o ideal para a transição. “Temos tido conquistas importantes no escopo do objetivo maior do projeto, de contribuir com a qualificação das práticas pedagógicas no Brasil, agora incluindo escolas urbanas e rurais, com o suporte dos usos intensivos, construtivos e inovadores das tecnologias digitais e da conectividade”, declara.

Um dos desafios do projeto para 2016 é favorecer o compartilhamento de experiências significativas. “Queremos gerar uma rede de práticas que encoraje o professor a realizar mudanças, ainda que pequenas, inspirado pelo relato de outros educadores, que façam com que ele identifique ações viáveis em condições nem sempre ideais”, afirma Schäfer.

Neste contexto, a oferta de cursos da plataforma Escolas Conectadas procura atender aos desafios dos educadores no campo e na cidade, abordando temáticas relevantes para a sala de aula. Para a equipe responsável, os depoimentos recebidos até o momento são evidências constantes do impacto sobre os alunos na ponta – “a razão de ser do projeto”, resume Patrícia.

*O número de inscrições aumenta diariamente, com a chegada de novos professores à plataforma.

Saiba mais

A Plataforma Escolas Conectadas oferece gratuitamente cursos de formação online com objetivo de ampliar as possibilidades formativas para professores de todo o Brasil, além de ampliar repertório de técnicos e gestores de secretarias de educação. Os participantes ainda podem se conectar com professores de todo o país, conhecendo e trocando experiências com outros contextos.A plataforma dispõe de duas modalidades de cursos:

Faça você mesmo (15 horas): o educador pode se inscrever a qualquer instante nos cursos disponíveis e realizá-los de acordo com a sua agenda em até 45 dias após o ingresso.

Cursos com especialistas (40 horas): o educador tem um período para se inscrever e outro para acompanhar as aulas online, mediadas por profissionais da área.

As vagas são limitadas, no caso dos cursos com especialistas, e ilimitadas nos outros, viabilizando o aspecto de escala e a ampliação qualificada da rede de formação e de educadores. Todos os cursos são certificados pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul, parceira da Fundação Telefônica no programa.

Escolas Conectadas: Mais de 5 mil professores já participaram de cursos em 2016
Escolas Conectadas: Mais de 5 mil professores já participaram de cursos em 2016