Saltar para o menu de navegação
Saltar para o rodapé
Saltar para os conteúdos
Saltar para o menu de acessibilidade
ESTUDO ANALISA O IMPACTO DA PROGRAMAÇÃO NA EDUCAÇÃO, EMPREGABILIDADE E MERCADO DE TRABALHO.
BAIXE AQUI

A Fundação Telefônica Vivo participa da 10ª edição do GELP, cujo objetivo é traçar uma perspectiva do que será um ensino de qualidade nos próximos anos.

Fundação Telefônica Vivo participa do 10ª encontro do GELP em São Francisco

Acontece durante esta semana o encontro internacional do GELP em São Francisco. Esta é a 10ª edição do evento e a ideia é fazer uma retrospectiva e traçar uma perspectiva do que será um ensino de qualidade nos próximos anos. Todo ano um grupo de especialistas em educação de todo o mundo se reúne para discutir o futuro da educação – do ponto de vista nacional e global. No encontro deste ano, o Brasil conta com 15 representantes, sendo 2 da Fundação Telefônica Vivo.
Educação 3.0, educação para o século 21, educação para a vida – não importa muito o nome, mas a verdade é que muitos gestores e educadores já perceberam que os sistemas educacionais precisarão se atualizar se quiserem formar alunos capazes de lidar com o mundo atual, isto é, novas tecnologias, alto quantidade de informação, problemas cada vez mais complexos e um mercado dinâmico e exigente. Foi pensando nisso, no desencontro entre escola e a realidade do mundo, que nasceu o GELP (Education Leaders’ Program).  O objetivo é discutir problemas reais de sistemas educacionais espalhados pelo mundo e suas possíveis soluções. Este ano, em São Francisco, a ideia é analisar novas formas e métricas de avaliação, engajamento e evasão escolar, aprendizado customizado, entre outros temas.
Junto com representantes de outras 11 jurisdições, o grupo brasileiro participará de debates sobre a educação nacional e outras experiências internacionais. Participam por parte da Fundação Telefônica Vivo a gerente da área de Ensino e aprendizado, Mila Gonçalves e a presidente, Gabriella Bighetti. Os convidados do evento são parte de uma rede de países e territórios que têm obtidos bons resultados e grandes inovações, como a Finlândia que apresenta o primeiro PISA (sigla inglês para Programa Internacional de Avaliação de Alunos). E a jurisdição de Nova Iorque que possui o programa iZone, iniciativa que promove inovação em escolas publicas de todo o estado, além de conectar estudantes e professores a startups a fim de criarem novas soluções. O modelo se aproxima muito de um sistema ideal para o século 21.
O 10º Encontro Global do GELP conta com a presença de 12 jurisdições no total: Austrália, Brasil, British Columbia, Chaoyang (Beijing, China), Colorado, Kentucky, Coréia do Sul, Kwa-Zulu Natal (África do Sul), Finlândia, Nova Iorque, Nova Zelândia, e Victoria.
O GELP Brasil está se configurando como uma rede de gestores e líderes educacionais de governos, institutos e fundações, que se apoia, troca melhores práticas, promove reflexões e planeja ações e projetos colaborativamente. Esse grupo se reúne algumas vezes ao ano, presencialmente ou via ferramentas digitais, e conta com a consultoria de especialistas nacionais e internacionais e de um vasto repertório criado pelo GELP internacional. As atividades do GELP, no Brasil, são patrocinadas pela Fundação Telefônica Vivo.
Acreditamos no poder de transformação da educação, por isso apoiamos o GELP e outras iniciativas inovadoras, como: Geekie Games, Khan Academy, Plinks, GENTE.

Fundação Telefônica Vivo participa do 10ª encontro do GELP em São Francisco
Fundação Telefônica Vivo participa do 10ª encontro do GELP em São Francisco