Saltar para o menu de navegação
Saltar para o rodapé
Saltar para os conteúdos
Saltar para o menu de acessibilidade
Logo EnlighTedRelembre aqui o enlightED 2021

O grupo recifense PortMund ganhou um certificado de honra na final do Technovation Challenge, competição mundial de empreendedorismo tecnológico para meninas.

Nos três anos em que participou da competição, o Brasil levou seus grupos de garotas até a final.

Nos três anos em que participou da competição, o Brasil levou seus grupos de garotas até a final.

Na última quinta-feira, 25 de junho, aconteceu a final do Technovation Challenge, maior competição do mundo em empreendedorismo tecnológico para meninas. O time vencedor foi o Team Charis, da Nigéria, apresentando um aplicativo que ajuda a reduzir o descarte impróprio de lixo. O grupo recifense PortMund, representante do Brasil e também das Américas do Sul e Central na divisão Ensino Médio, participou com o aplicativo The Last Drop, jogo que conscientiza sobre a importância de economizar água.
As jovens Jacqueline Alves, Leonor Vitória, Jaqueline Rodrigues, Gabrielle Lopes e Sâmara Beatriz enfrentaram dificuldades para ir até São Francisco, cidade estadunidense onde aconteceu a final da competição. “Uma semana antes da viagem, houve um problema com a emissão dos vistos. Foi uma correria só para reverter a situação, até que o governador de Pernambuco redigiu uma carta pedindo a liberação da entrada delas nos Estados Unidos. Quando desceram em Miami, perderam o voo de conexão, porque foram retidas pela embaixada. Brincamos que foi para chegar com emoção”, relata Christianne Poppi, diretora-executiva do Technovation Challenge no Brasil.
Foi uma semana intensa para as meninas da PortMund. Christianne conta que no primeiro dia, elas tiveram que levar alguma lembrança que simbolizasse sua cidade para as integrantes dos outros times: “As meninas escolheram presenteá-las com um chaveiro no formato do tradicional guarda-chuva do frevo”. Elas também participaram de workshops com profissionais do Vale do Silício, visitaram startups como a Yelp e tiveram contato com gestores de empresas como Google, LinkedIn e outras gigantes da área.
A diretora-executiva também contou sobre o notório desenvolvimento das garotas durante a competição: “Antes elas não conseguiam falar uma frase em inglês, mas se dedicaram tanto, treinaram com tanto afinco, que no dia da final apresentaram seu aplicativo sem ler nenhum papel, de um jeito bem bonito. Elas tiveram um feedback muito grande, conheceram participantes de vários países e foram vistas como empreendedoras reais, não somente competidoras. Isso dá para elas um incrível empoderamento”.
E os próximos passos, agora que o Technovation Challenge chegou ao fim? Christianne garante que todas as garotas querem prosseguir seus estudos na área de tecnologia e desejam aprimorar o aplicativo The Last Drop: “Faremos ações para motivá-las a investir no projeto, conectando-as com mentores de outras empresas de tecnologia que possam ajudar a melhorá-lo. Elas já têm planos de expandir o aplicativo, para poder falar de outros problemas locais além da falta de água”.
As inscrições para o próximo Technovation Challenge têm previsão para acontecer em setembro desse ano e resultados como os das meninas do PortMund demonstram que programar não é um bicho de sete cabeças e está ao alcance de quem tiver vontade de aprender. Se você tem interesse na linguagem dos códigos, a plataforma Programaê!, da Fundação Telefônica Vivo em parceria com a Fundação Lemann, é uma ferramenta funcional para facilitar o contato com programação. Saiba mais aqui.

Grupo PortMund ganha certificado de honra na final do Technovation Challenge
Grupo PortMund ganha certificado de honra na final do Technovation Challenge