Saltar para o menu de navegação
Saltar para o rodapé
Saltar para os conteúdos
Saltar para o menu de acessibilidade
Novo Ensino Médio: primeiro itinerário de formação técnica e profissional em Ciência de Dados. Saiba mais

A plataforma FreeHelper facilita a busca por atividades de voluntariado e ajuda instituições a encontrar pessoas dispostas a atuar por causas, como a educação. Saiba mais!

#Voluntariado

Imagem mostra ilustração de sete ícones que representam áreas e tipos de trabalho voluntário, como educação, doção de alimentos etc. Todos os ícones estão conectados por uma linha pontilhada, que também se conecta à ilustração de um celular que está na mão de alguém ilustrado pela imagem.

Buscar e encontrar uma oportunidade de trabalho voluntário se tornou um processo mais prático com o apoio da tecnologia. Afinal, já é possível “dar match” com uma atividade que tenha a ver com o seu propósito e aceitar realizá-la antes mesmo de sair de casa. A plataforma FreeHelper, por exemplo, foi criada para ser uma grande facilitadora para a expansão desse tipo de atividade.

Assim sendo, o site permite que voluntários especializados das mais diversas áreas encontrem oportunidades em ONGs para realizar atividades de curto e médio prazo.

“A vontade de fazer a diferença em diversas causas sociais, de uma forma escalável e relevante, foi o que nos motivou criar a FreeHelper. Com isso, entendemos que a melhor ONG que poderíamos abrir seria uma que fortalecesse e somasse forças com outras que já fazem um trabalho necessário e incrível. Assim, criamos uma plataforma que conecta pessoas que desejam doar conhecimento para organizações que precisam dele para se desenvolver“, afirma Pedro Eilert, cofundador e líder de impacto social da FreeHelper.

A plataforma tem a missão de profissionalizar e aumentar o impacto das organizações. Para isso, seleciona pessoas voluntárias capacitadas e interessadas em fazer a diferença, potencializando os resultados das instituições ao mesmo tempo em que aperfeiçoa as habilidades dos voluntários.

Tecnologia em prol da educação e do impacto social  

Em resumo, plataformas como a FreeHelper conectam os voluntários às oportunidades disponibilizadas pelas instituições, cruzando as informações e preferências fornecidas por ambas as partes envolvidas no cadastro feito no site.

“Já realizamos mais de 300 ações voluntárias nesse formato de ‘freela social’. Isso significa que mais de 300 vezes entendemos uma demanda profissional de uma ONG, conectamos a pessoa voluntária que sabia resolver aquilo e acompanhamos o desenvolvimento do trabalho e sua entrega”, detalha Pedro Eilert.

A voluntária Isabella David encontrou a plataforma quando fazia uma busca por sites de trabalho voluntário. Por meio dela, começou a lecionar inglês para adolescentes no Instituto Empreeduca. A ONG atende alunos e ex-alunos da rede pública de ensino e os prepara para ingressar no mercado da tecnologia.

“Eu já havia feito trabalho voluntário antes, mas não on-line ou com a ajuda de outras organizações. Na época estava difícil encontrar algo no qual eu me encaixasse. Me candidatei para uma vaga de tradutor voluntário, que já havia sido preenchida, e então a FreeHelper me perguntou se eu tinha interesse em dar aulas de inglês, e acabei topando”, explica.

Uma vez que o cadastro é realizado na plataforma FreeHelper, os voluntários em potencial recebem alertas de vagas via e-mail ou redes sociais. Então, combinam diretamente com a ONG as atividades a serem realizadas e seus prazos. Assim que a atividade voluntária é concluída, o voluntário recebe um feedback e estará pronto para se candidatar a uma próxima oportunidade.

Voluntariado e educação 

Quando falamos em trabalho voluntário, não nos referimos apenas a atividades colaborativas, mas também a ações de responsabilidade social.

Por exemplo, o voluntariado de competências é o uso dos conhecimentos e habilidades a favor de um impacto direto e estruturado.

“O trabalho voluntário me ajuda a me conectar com pessoas que, muitas vezes, têm pouco em comum comigo. Mas que realmente veem o valor no ser humano. Tive muitos privilégios que outras pessoas não tiveram, e seria injusto não dividir certos conhecimentos com quem também precisa”, conta a professora Isabella.

Para além de ações pontuais de voluntariado, existe uma série de atividades que podem ser realizadas de modo contínuo e que colaboram com o impulsionamento da educação, além de aproximar a comunidade do ambiente escolar.

Além disso, o voluntariado na educação atua como potencializador da função escolar. Ele contribui para a formação de alunos e para aumentar a qualidade de vida da comunidade.

Por fim, a dedicação de tempo em prol da transformação de outras realidades é uma forma que os voluntários também encontraram para ajudar outras pessoas em situação de vulnerabilidade social e combater desigualdades.

“Acho que o trabalho voluntário requer empatia e bom humor. Muitas vezes, as pessoas que você ajuda de alguma maneira já estão passando por coisas muito pesadas. Então mesmo que o meu trabalho seja relacionado à educação, por exemplo, o meu objetivo também é trazer uma perspectiva mais positiva para os alunos”, conclui Isabella.

Plataforma usa a tecnologia para conectar voluntários à ONGs de todo o país
Plataforma usa a tecnologia para conectar voluntários à ONGs de todo o país