Saltar para o menu de navegação
Saltar para o rodapé
Saltar para os conteúdos
Saltar para o menu de acessibilidade
Saiba como contribuímos para digitalizar a educação pública e promover a solidariedade.

Plataformas digitais podem ser grandes aliadas do educador em projetos colaborativos e interdisciplinares, mas é preciso ter cuidado na hora de escolher qual usar

#Interdisciplinaridade#NovoEnsinoMédio#TecnologiasDigitais

Arte em que aparece uma tela de computador sobre a qual e ao lado da qual aparecem vários elementos da linguagem de internet (emojis, likes, etc) expressando diversas conexões.

O Novo Ensino Médio busca romper com a fragmentação dos saberes. Ao organizar o currículo por áreas de conhecimento, traz um novo desafio ao educador: a interdisciplinaridade. Acostumado a trabalhar as disciplinas de forma separada, agora precisa articular, em projetos interdisciplinares, diferentes conteúdos e habilidades junto com outros educadores para desenvolver um saber complexo e conectado com o mundo real.

As tecnologias digitais podem ser importantes aliadas neste processo, ao facilitar a sistematização de ideias e o trabalho colaborativo. Um bom exemplo de ferramenta com esse propósito são os murais virtuais, que permitem que estudantes curtam, comentem ou até mesmo editem conteúdo de forma coletiva. Outras ferramentas permitem gamificar avaliações formativas, promover dinâmicas de interação e debate de temas, entre outras funcionalidades.

Tecnologias digitais são importantes aliadas em projetos interdisciplinares

A educadora Juliana Ragusa trabalha, desde 2013, com cultura maker e metodologias ativas. Para ela, as tecnologias digitais podem ajudar muito o educador em projetos interdisciplinares, desde que com intencionalidade clara e atendendo os objetivos da própria BNCC (Base Nacional Comum Curricular). “O primeiro passo antes de escolher a ferramenta digital com a qual trabalhar é sempre questionar se a tecnologia em questão é mero modismo, ou se de fato vai ajudar no desenvolvimento de determinadas habilidades e competências”, explica.

Outra dica que ela compartilha para a hora de escolher com qual ferramenta trabalhar diz respeito a outro valor presente no Novo Ensino Médio: o protagonismo. Segundo Juliana, a tecnologia só é útil se o educando não for submetido a ela como usuário passivo. As plataformas digitais são suportes importantes para engajar os estudantes na construção de novos conhecimentos, no trabalho em equipe e na resolução de problemas, mas o protagonismo sempre deverá ser do educador e do estudante.

 

Como escolher a tecnologia digital adequada para atividades interdisciplinares

As plataformas digitais mais interessantes para projetos interdisciplinares são aquelas que envolvem colaboração e preparo prévio para concretizar algo manualmente, transitando entre o virtual e o presencial.

 

Com a ajuda da educadora Juliana Ragusa, preparamos uma lista de 8 plataformas digitais que podem ajudar o educador em projetos transdisciplinares.

1 – Padlet

Ferramenta online que permite a criação de um mural ou quadro virtual dinâmico e interativo para registrar e compartilhar conteúdos multimídia (texto, imagens, vídeo, hiperlinks).

2 – Flipgrid

Plataforma digital que permite criar fóruns de discussão por meio de vídeos. No Flipgrid, tanto os tópicos de debate, quanto às respostas a estes tópicos são pequenos vídeos criados e postados por educadores e educandos.

3 – Goconqr

Com o Goconqr é possível criar mapas mentais; cards para memorização de conteúdo (flashcards), quizzes (jogos de perguntas e respostas com o uso de imagens e textos), entre outras atividades que estimulam o raciocínio lógico, a gamificação e a colaboração.

4 – Mindmeister

É uma plataforma digital para mapas mentais interativos e colaborativos. Com ela, é possível que educadores e educandos compartilhem todo o processo de formulação de uma ideia e como organizam o pensamento para a realização de um projeto.

5 – Quizizz

Mais do que uma ferramenta para a criação de quizzes, a Quizizz se apresenta como uma plataforma de gamificação e de engajamento dos educandos. Com ela, muitas atividades podem ser propostas utilizando a lógica dos games.

6 – Google Sala de Aula

Essa plataforma digital já é muito popular entre os educadores, mas muitas vezes é utilizada apenas como espaço para disponibilizar conteúdos. No entanto, ela permite a criação coletiva de textos, formulários e imagens. Também é possível fazer interações online e compartilhar vídeos, entre outras funcionalidades.

7 – Experimentos de Inteligência Artificial Google

Esta plataforma não é uma ferramenta, mas sim o site onde é possível encontrar uma coleção imensa de experiências do uso de tecnologias na produção de conhecimento. Muitos destes experimentos podem ser apropriados pelos educadores em projetos interdisciplinares na escola.

8 – Google Jamboard

Este aplicativo é uma tela inteligente que pode ser acessada em qualquer dispositivo. Com ela, educadores e educandos podem realizar atividades colaborativas de desenho e escrita tanto à distância como em sala de aula.

Confira oito plataformas digitais que auxiliam educadores a desenvolverem projetos interdisciplinares no Novo Ensino Médio
Confira oito plataformas digitais que auxiliam educadores a desenvolverem projetos interdisciplinares no Novo Ensino Médio