Saltar para o menu de navegação
Saltar para o rodapé
Saltar para os conteúdos
Saltar para o menu de acessibilidade
Novo Ensino Médio: primeiro itinerário de formação técnica e profissional em Ciência de Dados. Saiba mais

Estudantes poderão cursar uma formação técnica e profissional no Novo Ensino Médio, mas ingressar em um curso técnico profissionalizante continuará sendo possível. Por isso, entenda a diferença entre as duas modalidades

#EnsinoMédio#Estudantes#PenseGrandeTech

Imagem mostra cinco jovens reunidos, sentados ao redor de uma mesa, conversando. São dois rapazes e três moças. Um dos jovens é negro e está sorrindo.

Com as mudanças implementadas no panorama da Educação do país, principalmente com o lançamento do Novo Ensino Médio, pode ser que dúvidas sobre o tema tenham surgido. Por exemplo, cursos técnicos deixarão de existir? Existe diferença entre formação técnica e curso técnico profissionalizante?

Desde o início das aulas presenciais, as redes de ensino começaram a implementar em suas diretrizes curriculares o Novo Ensino Médio. Assim, até o final de 2024, as escolas devem reformular a grade de disciplinas a partir do 1º ano dessa etapa de ensino. Por consequência, a formação técnica e profissional passou a integrar a grade curricular como um itinerário formativo do Novo Ensino Médio.

Definitivamente, existe diferença entre a formação técnica e profissional e o curso técnico profissionalizante. Portanto, para que você entenda quais são, preparamos um conteúdo especial sobre o tema. Confira!

Entenda a formação técnica e profissional do Novo Ensino Médio

Enquanto itinerário formativo do Novo Ensino Médio, a formação técnica e profissional tem como proposta integrar a Educação Básica às necessidades atuais da sociedade. Além disso, busca desenvolver nos estudantes as habilidades técnicas e psicossociais valorizadas pelo mercado de trabalho. Bem como capacitá-los e formá-los para serem profissionais questionadores e aptos a trabalhar em projetos inovadores.

“Então, a formação constitui um dos cinco possíveis itinerários formativos do Novo Ensino Médio. Os outros quatro contemplam as áreas do conhecimento, como Matemática e Linguagens. Em sua essência, ela prioriza tanto o desenvolvimento de vida e carreira profissional, quanto a adaptação às novas condições ocupacionais e às exigências do mundo do trabalho contemporâneo”, explica Gilson Rede, diretor do Grupo de Formulação de Análises Curriculares da Unidade do Ensino Médio e Técnico (Cetec) do Centro Paula Souza (CPS).

Em outras palavras, a formação técnica e profissional pode funcionar como uma parceria entre as redes de ensino e as empresas locais. Dessa maneira, a partir dessa associação, poderão ser oferecidos aos estudantes estágios, núcleos de estudo e outras experiências formativas que conectam o jovem à realidade da carreira que ele deseja seguir.

Formação técnica e profissional X Curso técnico profissionalizante Fique por dentro das principais diferenças entre formação técnica e curso técnico Formação técnica e profissional Curso técnico profissionalizante Quem pode fazer? É destinado aos estudantes que concluíram o Ensino Fundamental e darão prosseguimento em seus estudos no Novo Ensino Médio – geralmente jovens entre 15 e 18 anos. Pode ser cursado durante o Ensino Médio ou após a conclusão. No primeiro caso, são integradas às disciplinas práticas do técnico com as regulares do Ensino Médio em apenas um só curso. Qual é a carga horária? Na nova carga horária prevista para o Novo Ensino Médio o currículo deve ter 1.800 horas que contemplam componentes da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), e cerca de 1.200 horas voltadas ao itinerário da formação técnica e profissional. O tempo de conclusão do curso técnico profissionalizante é de 18 a 24 meses, com 1.200 horas curriculares nesse período, a depender do Catálogo Nacional de Cursos Técnicos, destinadas à formação profissional do estudante em determinada habilitação. Quando pode ser cursado? Será oferecida de forma gratuita para o estudante dentro da carga horária do Ensino Médio regular. Pode ser cursado paralelamente ao Ensino Médio ou depois do término e é de escolha de cada pessoa. O que é desenvolvido pelo estudante? Segue orientações da Base Nacional Curricular Comum (BNCC), que estruturou o ensino brasileiro para uma formação integral, desenvolvendo competências cognitivas, sociais, emocionais e éticas. Obedecem a legislações específicas e uma delas é o Catálogo Nacional de Cursos Técnicos. Dentre vários pontos, estipula o perfil profissional desejado para formação dos estudantes, pontuando suas principais atribuições quando exercer sua função nas organizações. Qual é a certificação oferecida? Ao concluir o itinerário da formação técnica e profissional, o estudante obtém o certificado da habilitação profissional técnica ou o(s) certificado(s) de curso(s) de qualificação profissional, além do documento de conclusão do Ensino Médio, podendo dar continuidade em seus estudos em nível superior. Também é possível receber certificados a cada itinerário concluído. Ao finalizar um curso técnico profissionalizante, o estudante recebe um certificado de conclusão do curso técnico de nível médio. Fonte: Gilson Rede, em entrevista concedida à Fundação Telefônica Vivo

Vantagens da formação técnica e profissional para o estudante

De fato, a principal vantagem da formação técnica e profissional para o estudante é a possibilidade de adquirir conhecimento técnico-profissional durante o Ensino Médio. Ou seja, o jovem que quer se qualificar não precisará cursar o Ensino Básico e, paralelamente, um curso técnico. Dessa forma, seu tempo de estudo será otimizado.

“Esse certificado contempla uma habilitação profissional técnica, o que é reconhecido pelo mercado de trabalho e que poderá lhe abrir portas e proporcionar oportunidades de emprego. O estudante obtém o diploma de técnico e o certificado de conclusão do Ensino Médio, inclusive podendo dar continuidade em seus estudos em nível superior”, explica o especialista do Centro Paula Souza.

A formação técnica e profissional também traz reflexos positivos para a sociedade. Afinal, esse tipo de ensino deixará de ser oferecido só por redes especializadas e chegará a todas as escolas das redes pública e privada. Assim, educação e a capacitação de qualidade farão parte da história de um número cada vez maior de jovens no país.

“Podemos dizer que a formação técnica e profissional continuará sendo mais uma opção para os estudantes que estiverem frequentando o Ensino Médio ou que pretendem ingressar em cursos técnicos e profissionalizantes. Os alunos poderão escolher fazer essa formação cumprindo a carga horária regular do Novo Ensino Médio”, complementa Gilson.

E como ficam os cursos técnicos profissionalizantes?

Cursos técnicos profissionalizantes são programas de nível médio que têm como finalidade capacitar o aluno com conhecimentos teóricos e práticos em diversas atividades do setor produtivo. Essa modalidade é oferecida simultaneamente ao Ensino Médio, com matrículas distintas. Além disso, pode ser cursada por quem já concluiu esse nível, independentemente da idade do estudante.

“Os cursos técnicos profissionalizantes têm a finalidade de desenvolver competências profissionais de nível tático relacionadas às áreas profissionais e requeridas pelas organizações. Em síntese, são cursos que preparam o estudante para uma determinada ocupação, proporcionando-lhe o desenvolvimento de competências e habilidades para seu desempenho laboral”, esclarece Gilson Rede.

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), existem 227 possibilidades de cursos técnicos, divididos em 13 eixos tecnológicos. Ou seja, se o jovem está cursando ou já concluiu o Ensino Médio ele tem a possibilidade de ingressar em um curso que proporcionará um diploma que contempla uma habilitação profissional técnica. Em outras palavras, o diploma é reconhecido pelo mercado de trabalho e poderá lhe proporcionar oportunidades de emprego.

Só para ilustrar, instituições públicas e privadas de todo o país podem oferecer esse tipo de curso. O Senac e o Senai são algumas que contam com diversas opções de cursos técnicos profissionalizantes. Por exemplo, nas áreas de Beleza e Estética, Gastronomia e Alimentação, Automação e Mecatrônica, Mecânica Automotiva, entre outras.

“São inúmeros os aspectos positivos em cursar o ensino técnico profissionalizante. Mas merece destaque a possibilidade de concessão ao estudante de certificados intermediários de qualificação para o trabalho. Isso pode proporcionar maior empregabilidade e rápida colocação profissional. Ainda tem a possibilidade de aprofundar os conhecimentos na faculdade e ganhar uma visão mais crítica para desempenhar funções gerenciais que necessitam de formação superior”, diz Gilson.

Qual é a diferença entre formação técnica e profissional e curso técnico profissionalizante?
Qual é a diferença entre formação técnica e profissional e curso técnico profissionalizante?