Saltar para o menu de navegação
Saltar para o rodapé
Saltar para os conteúdos
Saltar para o menu de acessibilidade
Logo EnlighTedRelembre aqui o enlightED 2021

Ter um filho portador de necessidades especiais foi o que transformou um analista de logística. Agora, chegou a hora de retribuir através do projeto Semear.

O apoio ao funcionário faz parte do propósito do projeto Semear

Ter um filho portador de necessidades especiais foi o que aproximou Luiz Carlos Spera, analista de logística da TGestiona, do atendimento da Semear há 20 anos, desde o primeiro ano da instituição. Luiz já era empregado da Telesp há alguns anos quando seu filho Fernando nasceu, portador de uma síndrome rara. Sem saber ao certo as dificuldades que teria pela frente, em 1989 a área de Recursos Humanos apresentou a ele esta instituição, formada inicialmente com o incentivo dos empregados da empresa, para dar atendimento e assistência aos familiares que necessitassem de aparelhos ortopédicos, auditivos, além de orientação médica e psicológica aos portadores de necessidades especiais.

“Foram tempos difíceis, não entendíamos nada sobre este problema, mas a ajuda da Semear foi imprescindível para nos ajudar a lidar com um filho autista. Naquela época havia uma equipe técnica que nos ajudou e orientou sobre a melhor forma de tratamento. Recebemos uma ajuda de custo para subsidiar uma escola especial, que tem os melhores métodos para auxiliar no desenvolvimento de Fernando, hoje com 23 anos”, conta Luiz Carlos.

Sua participação na Semear não é somente como beneficiário. Desde o ano passado Luiz Carlos faz parte do Conselho de Administração da associação e trabalha para que ela tenha condições de atender a mais pessoas que necessitam de ajuda, pois há algum tempo a Semear deixou de prestar atendimento somente a empregados do Grupo Telefônica e passou a prestar serviço à comunidade.

“É importante que mais e mais pessoas conheçam a Semear, o trabalho que é feito ali, e se motivem a colaborar com a associação, pois ninguém sabe o dia de amanhã. Qualquer pessoa pode vir a precisar desta ajuda, porém a instituição sobrevive de doações, de contribuições. Se cada um doar um pouquinho, muita gente continuará se beneficiando deste trabalho, que é tão fundamental para quem tem um familiar portador de deficiência. O Estado não está preparado para dar este auxílio, por isso temos que buscar recursos em associações independentes”, conclui Spera.

Dia Semear

No dia 19/06 você vai saber como poderá ajudar a esta instituição, pois haverá uma grande campanha em todas as empresas do Grupo Telefônica. Aguarde!

Por Lucy De Miguel  |  Vetor Comunicação
O post Semear ajuda empregado da TGestiona no tratamento de filho com autismo apareceu primeiro em Notícias da Fundação Telefônica.

Semear ajuda empregado da TGestiona no tratamento de filho com autismo
Semear ajuda empregado da TGestiona no tratamento de filho com autismo