Saltar para o menu de navegação
Saltar para o rodapé
Saltar para os conteúdos
Saltar para o menu de acessibilidade
PESQUISA EXCLUSIVA REVELA OS DESEJOS E NECESSIDADES DOS JOVENS DO ENSINO MÉDIO.
BAIXE AQUI

A formação do Pense Grande em Tecnologias Digitais preparou os educadores para desenvolver em estudantes do Ensino Médio a aprendizagem criativa e a resolução de problemas com o uso do pensamento computacional

#Educadores#PenseGrande#TecnologiasDigitais

Educadores de SC concluem formação em Tecnologias Digitais

Pensamento computacional é uma estratégia usada para desenhar e solucionar problemas do dia a dia de maneira eficaz, tendo a tecnologia como base. Mas ao contrário do que a expressão pode indicar, ela não se refere apenas ao que está ligado à programação de computadores. Bem como à navegação na internet. Entretanto, ela está relacionada a situações do cotidiano e a ações que necessitam do uso da lógica para serem resolvidas e concluídas.

A fim de entender como essa prática pode ajudar no aprendizado de jovens, cerca de 140 professores participaram de uma formação do programa Pense Grande em Tecnologias Digitais. Eles ministram eletivas de Tecnologia para estudantes do Ensino Médio em escolas de tempo integral de Santa Catarina. Trata-se de uma iniciativa da Fundação Telefônica Vivo em parceria com a Secretaria de Educação do Estado de Santa Catarina, que tem o Instituto Conhecimento para Todos como parceiro-executor.

Assim, os educadores “mergulharam” na formação Pensamento Computacional – “Se meu computador pensasse: uma correlação entre a lógica computacional e os problemas do dia a dia”, entre agosto e dezembro de 2021.

A formação teve como objetivo disseminar a cultura digital na Educação. Dessa maneira, o intuito é possibilitar aos educadores compreender as tecnologias e a conexão que existe entre a programação e o pensamento computacional com a rotina de qualquer estudante. Além disso, contribuir para o desenvolvimento das competências digitais na prática pedagógica, alinhadas às competências estabelecidas na Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Evento celebra a formação em Tecnologias Digitais

Um evento on-line, realizado em dezembro, marcou o encerramento da formação aos educadores catarinenses. A celebração contou com a troca de experiências entre os professores e palestras de profissionais da área. Além disso, com uma apresentação de vídeos dos alunos contando sobre os aprendizados das atividades aplicadas pelos educadores.

Na abertura, Sirley Damian de Medeiros, coordenadora de Ensino Médio do estado de Santa Catarina, exaltou a importância da formação para uma educação que atenda aos anseios dos alunos no século XXI.

“A temática do Pensamento Computacional é muito importante. Além disso, é uma tônica constante tanto na BNCC como no currículo base do Ensino Médio do território catarinense. Desse modo, agradecemos pelo bom trabalho que todos desenvolvem em prol de um Ensino Médio consonante às necessidades e anseios dos nossos estudantes”, declara.

Nesse sentido, a educadora celebrou o término do ciclo formativo, fruto da parceria com a Fundação Telefônica Vivo. “Sabemos o quanto os conhecimentos adquiridos vão contribuir para o melhor desempenho dos professores. Bem como para os resultados significativos na vida dos estudantes”, acrescenta.

Os educadores também acompanharam a palestra do professor Michael Jackson Moraes. Ele atua na área de desenvolvimento de softwares e é fundador do projeto CyberEduca. O professor destacou as competências e as habilidades que são obtidas por meio da metodologia e que refletem no aprendizado de crianças e jovens, ajudando em seu crescimento e desenvolvimento.

“O pensamento computacional permite ensinar à criança e ao adolescente uma forma de estruturar seu raciocínio. Ele é um ciclo em que se aplica uma série de etapas, para que você consiga identificar qualquer problema e executar o ciclo de planejamento, tensão, aplicação da solução, teste da solução e, por fim, a validação.

Em qualquer área da vida esses conceitos são e devem ser utilizados, não só na computação. Isso vai mudar muito a visão das crianças e dos adolescentes para conseguirem resolver problemas do mundo real”, conclui o professor.

Tecnologias digitais na prática com a oferta formativa híbrida

A primeira fase da formação aconteceu pela plataforma Escolas Conectadas, no formato EAD (Educação a Distância), com mediação e tutoria. Na segunda, os educadores contaram com o formato de mentoria assistida, de acordo com a aplicação das atividades dentro de sala de aula.

“Percebemos que eles passaram a reconhecer os pilares do pensamento computacional, com ou sem os recursos digitais. Assim, poderão proporcionar aos estudantes o foco na aprendizagem significativa, criativa, colaborativa e na resolução de problemas. Esse percurso é importante para essa que será uma das molas propulsoras para a implementação do Novo Ensino Médio”, ressalta Sirley Medeiros.

Rivaneide Antonia de Lima, professora na cidade de Guaramirim, relatou no evento de culminância da formação em Tecnologias Digitais uma prática que realizou para ajudar os estudantes a entenderem como o pensamento computacional auxilia na solução de problemas do cotidiano.

A educadora usou o poema “No Meio do Caminho”, de Carlos Drummond de Andrade, para que os estudantes visualizassem os problemas e buscassem soluções para a tal “pedra no caminho”.

“Nós lemos o poema e perguntei aos alunos: O que é a pedra? O que é o caminho? Eles conseguiram interpretar o poema sem que eu precisasse dar dicas, apenas trocando entre os pares. Fiquei emocionada com as soluções que eles trouxeram para as diferentes atividades”, comemora.

Já Karina Marques de Matos, de Jaraguá do Sul, criou um jogo sobre o cotidiano dos jovens. O resultado foi positivo e a turma decidiu escolher pensamento computacional nas eletivas da escola.

“Eles tinham que escolher qual caminho seguir ao lançar o dado. Alguns viam que, dependendo da escolha, iriam perder dinheiro ou ganhar com juros e economias. Ao final, entenderam como era importante pensar em cada etapa da decisão antes de tomá-la. Nunca pensei que isso fosse pensamento computacional, mas agora sei. Isso despertou nossa criatividade”, destaca.

Tecnologias Digitais: educadores de Santa Catarina concluem formação
Tecnologias Digitais: educadores de Santa Catarina concluem formação